Principal / NOTÍCIAS / A WSL ANUNCIA ACORDO E TORNA-SE ACIONISTA MAJORITÁRIA DA KELLY SLATER WAVE COMPANY.
A WSL ANUNCIA ACORDO E TORNA-SE ACIONISTA MAJORITÁRIA DA KELLY SLATER WAVE COMPANY.

A WSL ANUNCIA ACORDO E TORNA-SE ACIONISTA MAJORITÁRIA DA KELLY SLATER WAVE COMPANY.

 

Slater garante que estamos perante a democratização do surf de alta performance.

 

Após os rumores das últimas semanas sobre a possibilidade de a piscina de ondas de Kelly Slater receber brevemente uma etapa do World Tour, eis que surge uma notícia que torna essa especulação cada vez mais real. O anúncio da compra da Kelly Slater Wave Company por parte da WSL tem uma importância muito superior a isso. A revelação foi feita esta terça-feira e caiu que nem uma bomba.

A WSL Holdings, “empresa mãe” da World Surf League, acaba de anunciar um  acordo para ter uma posição majoritária na Kelly Slater Wave Company. Isso mesmo, a primeira onda perfeita fabricada pela mão do homem, fabricada durante 10 anos pela equipe de Kelly Slater e revelada ao Mundo no final de 2015 irá passar a ser propriedade da organização máxima do surf competitivo mundial, onde Slater também tem as suas influências.

Segundo a WSL, em comunicado, esta parceria com a KSWC servirá para promover o crescimento do surf de alta performance ao redor do Mundo, já imaginam a piscina de Slater crescendo como cogumelos pelos quatro cantos do globo terrestre? A WSL destaca ainda a importância que esta invenção poderá ter no futuro do esporte e garante que irão ser criados centro de treinamentos de alto rendimento, onde os surfistas poderão utilizar esta tecnologia de ondas.

Este anúncio significa a junção de dois mundos distintos, e poderá também ser o primeiro dia do resto da vida do surf competitivo. A WSL viu na piscina de Slater uma oportunidade única, adquirindo algo que poderá vir a ser até mais valioso do que aquilo que a empresa possui atualmente. Ainda assim, Kelly garante que a chegada da Kelly Slater Wave Company, a um Mundo global, trata-se apenas, de um “complemento” ao surf competitivo e não de uma mudança de paradigma.

“Surfar ondas boas, em condições controladas, traz uma nova dimensão ao surf”, disse o 11 vezes campeão mundial. “Vai deixar de existir a luta pelas ondas, e, acaba o stress sobre quem vai pegar a melhor onda, pois todas elas serão boas. Todos poderão relaxar, divertir-se e focarem exclusivamente no desenvolvimento do seu surf”. KS classifica ainda esta parceria como a “democratização” do surf: ” Vai proporcionar condições incríveis de treinamento aos surfistas, permitindo  que surjam novos surfistas em regiões onde não há oceano e nem ondas”.

Paul Speaker, CEO da WSL, considera a KSWC uma “inovação revolucionária”, salientado que esta tem o “poder de aumentar dramaticamente cada aspeto deste desporto”. Speaker afirma que a ambição passa por elevar o surf a patamares nunca antes vistos. “Partilhamos a mesma visão e paixão para fazer crescer o surf de alta performance e estamos muito animados por podermos trabalhar todos debaixo do mesmo teto”, assegurou.

Kieren Perrow, comissário da WSL, visitou recentemente a piscina de ondas do ex-colega de Tour e ficou impressionado com a criação de Slater. Perrow destaca a “energia e o power” que esta onda perfeita apresenta, e acredita que, há um imenso potencial para os surfistas se desenvolverem nestas condições. Ainda assim, nada de concreto foi avançado em relação a possibilidade de acontecer uma etapa do Tour nesta piscina.

Para terminar, Paul Speaker deixou uma mensagem apaziguadora aos mais puristas, garantindo que “o oceano será sempre a casa do surf” e negando que existam já planos concretos de incluir as piscinas de ondas nos calendários competitivos. “Vamos avaliar todas as possibilidades de isso acontecer durante os próximos meses, em conjunto com os comissários e os surfistas da WSL”, explicou Speaker.

Nenhum detalhe financeiro em relação ao negócio foi citado. A WSL expressa ainda que, a concretização da operação está pendente de alguns detalhes finais, e, que, mesmo depois do negócio ser fechado, ambas as empresas (WSL e KSWC) irão continuar a operar de forma independente. Resta agora esperar pelos próximos desenvolvimentos deste processo, e quanto tempo levará até vermos os melhores do mundo competindo neste palco. Assim, como ver a onda de Slater replicando-se por vários pontos do planeta…

 

Por: Surf Today / Fonte: Surf Portugal.

Sobre JR Mirabelli

Comments are closed.

Voltar ao Topo