Principal / NOTÍCIAS / Adriano de Souza assume a liderança do ranking mundial em Margaret River
Adriano de Souza assume a liderança do ranking mundial em Margaret River

Adriano de Souza assume a liderança do ranking mundial em Margaret River

Adriano de Souza vencendo sua terceira bateria em The Box (Foto: Kelly Cestari / WSL)

O Brasil já recuperou a primeira posição no ranking mundial com Adriano de Souza, após a sua vitória sobre o neozelandês Ricardo Christie e a eliminação do ex-líder Mick Fanning para o surfista local, Jay Davies, na terceira fase do Drug Aware Margaret River Pro na Austrália. Mineirinho conquistou a única vitória entre os quatro brasileiros que competiram nas grandes ondas de 8-12 pés da sexta-feira em The Box e depois em Main Break. O também paulista Miguel Pupo perdeu para o americano Nat Young em The Box e os potiguares Jadson André e Italo Ferreira foram derrotados em Main Break pelos australianos Owen Wright e Josh Kerr, respectivamente, com os três ficando em 13.o lugar na última etapa da perna australiana do Samsung Galaxy World Surf League Championship Tour 2015.

Adriano agora tem duas chances de classificação para as quartas de final e confirma o primeiro lugar no ranking se avançar para as semifinais em Margaret River. O único que pode impedir que Mineirinho participe da etapa brasileira do WCT, nos dias 11 a 22 de maio no Rio de Janeiro, com a lycra amarela de número 1 do mundo é Julian Wilson. Mas, para isso, o australiano tem que vencer o Drug Aware Margaret River Pro e Adriano de Souza não passar das quartas de final. A sexta-feira foi mais um dia de mar difícil e ondas desafiadoras tanto em The Box como em Main Break, onde Kelly Slater deu um verdadeiro espetáculo na última bateria do dia, ganhando nota 10 num tubaço e estabelecendo um novo recorde de 19,50 pontos para o campeonato.


“As condições estão muito difíceis, assustadoras até, mas estou muito feliz por ter a oportunidade de competir três vezes já neste lugar incrível que é The Box”,
disse Adriano de Souza. Sobre ter assumido a liderança do ranking, Mineirinho respondeu não estar preocupado com isso no momento: “É muito cedo ainda, o circuito está só começando e meu foco mesmo é surfar bem cada onda, cada bateria, cada evento, procurando fazer o meu melhor e ainda tenho muito o que fazer aqui. Depois sim vamos ver como vai ficar, mas prefiro manter o meu foco como venho fazendo até agora”.Já Adriano de Souza competiu no penúltimo duelo do dia em The Box, quando o mar já apresentava grandes intervalos entre as séries e poucas ondas entravam abrindo os tubos. Mesmo assim, Mineirinho achou um muito bom no começo para largar na frente com nota 7,83 que praticamente definiu sua vitória sobre o algoz do ex-líder do ranking, Filipe Toledo, o neozelandês Ricardo Christie. O placar foi encerrado em 9,60 a 4,37 pontos e o da vitória de Julian Wilson sobre o também australiano Adrian Buchan foi menor ainda, 7,50 a 6,77, com a comissão técnica decidindo parar a competição em The Box e mudar para Main Break.

E o primeiro confronto direto pela liderança do ranking do Samsung Galaxy World Surf League Championship Tour já vai acontecer na próxima bateria de Adriano de Souza em Margaret River. O único que pode ultrapassa-lo é Julian Wilson, que será um dos seus adversários na disputa pela terceira vaga direta para as quartas de final na quarta rodada do Drug Aware Margaret River Pro, que vai abrir o sábado nas direitas de The Box. Outro australiano completa esta bateria, Taj Burrow, que é local de Margaret River como o vencedor da triagem, Jay Davies, que já despachou o atual campeão mundial Gabriel Medina na quinta-feira e o tricampeão Mick Fanning, que defendia a ponta do ranking na sexta-feira.

Além de Mick Fanning, outro medalhão do surfe australiano também ficou em 13.o lugar ao perder na terceira fase, o também campeão mundial Joel Parkinson. O havaiano Sebastian Zietz conseguiu uma melhor sintonia com as séries em The Box para surfar bons tubos e vencer a bateria por 14,30 a 7,50 pontos, enquanto Fanning foi eliminado por Jay Davies por 16,83 a 13,90. Entre estas duas baterias o Brasil estreou na sexta-feira e Miguel Pupo conseguiria a classificação se saísse do último tubo que surfou contra o norte-americano Nat Young, que levou a melhor por uma pequena diferença de 13,50 a 12,37 pontos.

Os outros dois brasileiros, ambos do Rio Grande do Norte, competiram em Main Break, que bombava séries mais constantes de 10-12 pés, com as direitas apresentando bons tubos e paredes gigantes para grandes manobras. Italo Ferreira surfou bem e segurou a classificação até o último minuto com as notas 5,83 e 7,83 das duas únicas ondas que pegou contra o vice-campeão desta etapa no ano passado, Josh Kerr. O potiguar de Baía Formosa tinha a prioridade de escolha e uma vantagem de 6,84 pontos, então passou a marcar de perto o australiano. Só que ele escapou remando forte para uma onda que formou um lindo tubo para Josh Kerr ganhar uma nota 7,67 e virar o placar para 13,66 a 11,50 pontos.

Italo Ferreira em Main Break (Foto: Kirstin Scholtz / WSL)

No duelo seguinte, o dono da única nota 10 até ali, Owen Wright, foi mais uma vez impecável e começou forte atacando uma direita para largar na frente com nota 8,5. Jadson André também foi bem na sua primeira onda que valeu nota 7,17, mas depois quebrou sua prancha, teve que sair do mar para pegar outra e perdeu um pouco a sintonia com o mar. Seu oponente ainda surfou mais uma onda muito bem para praticamente garantir a vitória com nota 7,83, totalizando 16,33 pontos contra 12,50 do surfista da praia de Ponta Negra, em Natal. Os dois potiguares terminaram em 13.o lugar como Miguel Pupo e marcaram 1.750 pontos no ranking, com cada um recebendo 10.500 dólares de prêmio.

SPEED RANKING – Com os resultados da sexta-feira atualizados no ranking, Miguel Pupo caiu do oitavo para o décimo lugar, mas Jadson André e Italo Ferreira permanecem empatados na 17.a posição com o australiano Matt Wilkinson e o irlandês Glenn Hall. Já o campeão mundial Gabriel Medina, que não venceu nenhuma bateria em Margaret River, despencou da nona para a 16.a colocação. Os três ainda podem ser ultrapassados pelo defensor do título do Drug Aware Margaret River Pro, Michel Bourez, do Taiti, e pelo convidado desta etapa, Jay Davies.

Estes dois também ameaçam tirar o paulista Wiggolly Dantas do grupo dos 22 primeiros do ranking que são mantidos na elite dos top-34 do WCT para a próxima temporada. Guigui é um dos estreantes deste ano no Samsung Galaxy World Surf League Championship Tour e começou muito bem chegando as quartas de final da primeira etapa na Gold Coast. Mas, depois não passou nenhuma bateria em Bells Beach e nem em Margaret River, onde foi barrado pela outra novidade da “seleção brasileira”, o potiguar Italo Ferreira.

Na parte de cima da tabela, Adriano de Souza já aparece encabeçando a classificação geral, ultrapassando os dois surfistas que dividiam a liderança do ranking com a sua passagem para a quarta fase do Drug Aware Margaret River Pro. O primeiro a cair foi Filipe Toledo, que no dia que completava 20 anos de idade acabou eliminado pelo neozelandês Ricardo Christie na segunda fase. Já Mick Fanning parou na grande surpresa do evento, Jay Davies, que usou todo o seu conhecimento do pico em The Box para liquidar os dois melhores surfistas do mundo no ano passado.

FEMININO INICIADO – Depois da terceira fase masculina, ainda na tarde da sexta-feira foi iniciada a etapa feminina do Samsung Galaxy World Surf League Championship Tour em Margaret River. As meninas estavam ansiosas para competir em ondas tão grandes em Main Break, com mais de 2,5 metros de altura, mas as condições estavam boas para as meninas. As primeiras vitórias foram conquistadas pela norte-americana Lakey Peterson, a australiana Sally Fitzgibbons e pela líder do ranking mundial, Carissa Moore, havaiana que venceu as duas primeiras etapas da temporada e defende o título de campeã em Margaret River conquistado no ano passado.

A primeira chamada do sábado foi marcada para as 7h00 na Austrália, 20h00 da quarta-feira pelo fuso horário de Brasília, O Drug Aware Margaret River Pro está sendo transmitido ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pela Fox Sports para a Austrália, com coberturas especiais também pelo MCS Extreme na França, EDGE Sports na China, Coréia do Sul, Malásia e outros territórios, com a TV Globo sendo a nova parceira da World Surf League no Brasil.

——————————————————————————————————————————————————————————

QUARTA FASE CLASSIFICATÓRIA – Vitória=Quartas de Final / 2.o e 3.o=Quinta Fase:

1.a: John John Florence (HAV), Michel Bourez (TAH), Jeremy Flores (FRA)

2.a: Nat Young (EUA), Sebastian Zietz (HAV), Jay Davies (AUS)

3.a: Adriano de Souza (BRA), Julian Wilson (AUS), Taj Burrow (AUS)

4.a: Kelly Slater (EUA), Josh Kerr (AUS), Owen Wright (AUS)

TERCEIRA FASE – Vitória=Quarta Fase / Derrota=13.o lugar com 1.750 pontos e US$ 10.500:

———-começo em The Box:

1.a: Jeremy Flores (FRA) x w.o Jordy Smith (AFR) contundido

2.a: Michel Bourez (TAH) 15.23 x 10.94 Kai Otton (AUS)

3.a: John John Florence (HAV) 15.20 x 6.10 Adam Melling (AUS)

4.a: Sebastian Zietz (HAV) 14.30 x 7.50 Joel Parkinson (AUS)

5.a: Nat Young (EUA) 13.50 x 12.37 Miguel Pupo (BRA)

6.a: Jay Davies (AUS) 16.83 x 13.90 Mick Fanning (AUS)

7.a: Adriano de Souza (BRA) 9.60 x 4.37 Ricardo Christie (NZL)

8.a: Julian Wilson (AUS) 7.50 x 6.77 Adrian Buchan (AUS)

———-mudança para Main Break:

9.a: Taj Burrow (AUS) 15.16 x 15.04 Fredrick Patacchia (HAV)

10: Josh Kerr (AUS) 14.50 x 13.66 Italo Ferreira (BRA)

11: Owen Wright (AUS) 16.33 x 12.50 Jadson André (BRA)

12: Kelly Slater (EUA) 19.50 x 11.03 Glenn Hall (IRL)

PRIMEIRA FASE DO DRUG AWARE MARGARET RIVER PRO WOMEN´S:

1.a: 1-Lakey Peterson (EUA)=8.60, 2-Johanne Defay (FRA)=8.57, 3-Nikki Van Dijk (AUS)=5.00

2.a: Sally Fitzgibbons (AUS)=16.60, Tatiana Weston-Webb (HAV)=13.50, Alessa Quizon (HAV)=12.23

3.a: 1-Carissa Moore (HAV)=12.93, 2-Claire Bevilacqua (AUS)=5.60, 3-Coco Ho (HAV)=0.00

————próximos resultados no www.worldsurfleague.com

4.a: Stephanie Gilmore (AUS), Bianca Buitendag (AFR), Sage Erickson (EUA)

5.a: Tyler Wright (AUS), Silvana Lima (BRA), Laura Enever (AUS)

6.a: Courtney Conlogue (EUA), Malia Manuel (HAV), Dimity Stoyle (AUS)

 

 

Por: Surf Today / Fonte: João Carvalho – Assessoria de Imprensa da WSL South America – jcarvalho@worldsurfleague.com

 

 

Sobre JR Mirabelli

Comments are closed.

Voltar ao Topo