Principal / KITESURF / Bicho-preguiça encontrado por praticante de Kitesurf em pleno mar é solto após período de reabilitação no Instituto Argonauta.
Bicho-preguiça encontrado por praticante de Kitesurf em pleno mar é solto após período de reabilitação no Instituto Argonauta.

Bicho-preguiça encontrado por praticante de Kitesurf em pleno mar é solto após período de reabilitação no Instituto Argonauta.

Renato, kitesurfista que tirou o animal do mar. Foto: Divulgação.

O animal foi resgatado pela equipe de campo do Instituto, que trabalha para a preservação da fauna costeira desde 1998, atuando nas regiões da Ilhabela, Ubatuba, Caraguá e São Sebastião.

 

Ubatuba, 23 de junho de 2017 – Há cerca de quinze dias (05/06), o Instituto Argonauta recebeu um chamado um tanto inusitado: o surfista de Kitesurf Renato Tavolaro Casimiro de 43 anos, havia encontrado um bicho-preguiça (Bradypus variegatus), em pleno mar. Na ocasião, o mamífero espumava pela boca dando sinais de afogamento.

Quando o recebemos, o animal demonstrava muita dificuldade em respirar. O primeiro procedimento feito foi para dilatar os pulmões e facilitar a respiração”, explica a veterinária Marina Sanches. De acordo com a profissional, bastou um dia para que o animal voltasse a se alimentar normalmente. No cardápio, muitas folhas de embaúba.

A evolução do quadro do animal foi positiva e diante de um comportamento normal, se alimentando bem e totalmente recuperada (é uma fêmea) do afogamento, hoje – há pouco mais de duas semanas sob observação – o animal ganha novamente a liberdade, na mesma região em que foi resgatado: a Praia da Tabatinga, em Caraguatatuba (SP).

“O fato é extremamente inusitado já que o bicho-preguiça é um mamífero terrestre e tem o hábito de nadar em águas doces ocasionalmente. Mas, neste caso, foi encontrado em pleno mar”, conta Carla Beatriz Barbosa, bióloga e coordenadora no Instituto Argonauta. Segundo a bióloga, o mais provável é que o bicho tenha sido levado pela correnteza de algum rio em direção ao mar.

O praticante de Kitesurf (modalidade exercida bem após a faixa de rebentação) ficou surpreso quando encontrou o animal no mar e imediatamente, avisou os colegas que estavam em embarcação próxima. Depois de tirar o animal da água a reação seguinte foi entrar em contato com o Instituto.

Com o celular, o surfista comunicou a ocorrência aos técnicos do Instituto, que depois de resgatado, passou a ser assistido pela equipe técnica do Argonauta. Apesar de não entrar na categoria de animal aquático, o bicho-preguiça foi tratado pela equipe da instituição.

Hugo Gallo, oceanógrafo e presidente do Instituto Argonauta explica que a proposta do CETAS (Centro de Triagem de Animais Silvestres) é dar total apoio à fauna aquática, mas o suporte para outras famílias e grupos de animais não pode ser negado em hipótese alguma.

“Atualmente, atendemos exclusivamente a fauna marinha. Porém, o Instituto Argonauta também presta atendimento e encaminha outros tipos de animais, como o caso do bicho-preguiça, para os órgãos responsáveis”, explica Gallo.

Em tratamento no CETAS de Ubatuba desde o dia da ocorrência, o bicho-preguiça permaneceu sob os cuidados do time de técnicos do Instituto Argonauta.

Uma das principais ameaças à espécie é o desmatamento, muitas vezes motivado pela especulação imobiliária.

SEJA UM ARGONAUTA

Ao encontrar animais marinhos vivos ou mortos, ligue 0800 642 33 41. Esta combinação de números pode salvar a vida de um animal aquático. Entre eles, tartarugas, aves e outras espécies da fauna marinha.

Você também pode baixar o APP “Argonauta”, disponível gratuitamente para Android e IOs.

SOBRE O INSTITUTO ARGONAUTA

Instituto Argonauta para a Conservação Costeira e Marinha é uma organização não governamental sem fins lucrativos (ONG), fundada em julho de 1998 pela Diretoria do Aquário de Ubatuba e reconhecida em 2007 comoOSCIP (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público). Criado com o objetivo de incentivar, promover, desenvolver e apoiar a cultura, educação, pesquisa e conservação ambiental.

O Instituto Argonauta criou e mantém o CETAS Ubatuba, centro que atua no resgate, reabilitação e reinserção da fauna aquática nas regiões da Ilhabela, Ubatuba, Caraguá e São Sebastião.

 

Por: Surf Today / Fonte:  Janaína Pedroso Sousa (12) 3833-5753 / (11) 94005-8745

comunicacaoargonauta@gmail.com

http://www.institutoargonauta.org/

https://www.facebook.com/InstitutoArgonauta/

Sobre JR Mirabelli

Comments are closed.

Voltar ao Topo