Principal / NOTÍCIAS / Bino Lopes substitui Caio Ibelli no OuterKnown Fiji Pro.
Bino Lopes substitui Caio Ibelli no OuterKnown Fiji Pro.

Bino Lopes substitui Caio Ibelli no OuterKnown Fiji Pro.

Bino Lopes no QS 3000 da Ilha Martinica. Foto: Poullenot – WSL

 

O paulista Caio Ibelli contundiu o tornozelo e será substituído pelo baiano Bino Lopes no OuterKnown Fiji Pro, que começa no domingo com prazo até 16 de junho para ser encerrado em Fiji. Ele foi convocado porque ficou em 11.o lugar na lista dos dez que se classificaram para a elite dos top-34 pelo WSL Qualifying Series e já está escalado na quarta bateria, encabeçada por Adriano de Souza, campeão do Oi Rio Pro em Saquarema e um dos três vice-líderes do Jeep WSL Ranking. Com a saída de Caio Ibelli, as baterias da primeira fase foram modificadas e o potiguar Italo Ferreira vai abrir o quinto desafio do World Surf League Championship Tour.

A previsão das ondas está boa para começar no domingo em Cloudbreak, mas o primeiro dia será iniciado com a decisão do título do OuterKnown Fiji Women´s Pro. As meninas não tiveram sorte e competiram em ondas pequenas na terça e na quarta-feira dessa semana e só restou a grande final para ser disputada. Só que o mar ficou “flat” e o prazo da etapa feminina acabou na sexta-feira, sem nada de ondas para a norte-americana Courtney Conlogue e a havaiana Tatiana Weston-Webb duelarem pelo título. Os comissários da World Surf League se reuniram e o consenso foi realizar a final feminina antes dos homens no domingo.

Italo Ferreira vai entrar na primeira bateria masculina com o norte-americano Kolohe Andino e o francês Joan Duru. O potiguar de Baía Formosa também contundiu o tornozelo esse ano, logo após o quinto lugar na etapa de abertura da temporada na Gold Coast, onde ganhou a primeira nota 10 do ano. Ele ficou de fora das outras duas etapas da Austrália, em Margaret River e Bells Beach, do Oi Rio Pro e só está retornando agora em Fiji. Caio Ibelli foi outro brasileiro que brilhou na “perna australiana”, ao chegar na decisão do Rip Curl Pro Bells Beach com o sul-africano Jordy Smith, que badalou o sino do troféu da vitória.

O paulista do Guarujá ocupa a nona posição no Jeep WSL Ranking e escreveu uma mensagem no seu Instagram, em 31 de maio: “Com muita dor no coração, informo que não vou poder competir em Fiji. Me machuquei em El Salvador uma semana atrás, rompimento parcial do ligamento do tornozelo direito, tive muita ajuda dos doutores Dramer, Romaine e Tim Brown, aqui na Califórnia, porém em uma semana de tratamento não consegui surfar. Muito obrigado pela força e em J-Bay estarei de volta, se Deus quiser”, referindo-se a próxima etapa, Corona J-Bay Open, de 12 a 23 de julho em Jeffreys Bay, Eastern Cape, na África do Sul.

NA ÚLTIMA HORA – A contusão de Caio Ibelli acabou dando a chance para Bino Lopes competir numa das melhores ondas do World Surf League Championship Tour. O baiano também foi chamado na última hora para disputar o Oi Rio Pro na vaga de Kelly Slater, que cancelou sua participação na véspera do início da etapa brasileira. Agora, Bino tinha acabado de retornar do QS 6000 do Japão e terá de viajar de novo para o outro lado do mundo. Sua primeira bateria em Fiji será contra Adriano de Souza e o norte-americano Kanoa Igarashi.

No ano passado, Gabriel Medina conquistou sua segunda vitória nesta etapa e os dois campeões mundiais são os únicos cabeças de chave do Brasil no OuterKnown Fiji Pro. Medina também vai estrear junto com um brasileiro, Wiggolly Dantas, na oitava bateria, completada pelo norte-americano Nat Young, com quem decidiu seu primeiro título em Fiji em 2014. Além de Medina, Mineirinho, Wiggolly, Italo e Bino, mais quatro brasileiros vão competir nos tubos da ilha de Tavarua.

O potiguar Jadson André entra antes de Medina, na sétima bateria, com o australiano Joel Parkinson e o português Frederico Morais. O pernambucano Ian Gouveia faz sua estreia em Fiji na décima, contra o português Frederico Morais também novato no CT e o havaiano Sebastian Zietz. O paulista Miguel Pupo entra na seguinte com o australiano Adrian Buchan e o taitiano Michel Bourez. E o convidado da World Surf League, o catarinense Yago Dora, sensação do Oi Rio Pro com um brilhante terceiro lugar batendo três campeões mundiais em Saquarema, está na quinta bateria, com o sul-africano Jordy Smith e o australiano Jack Freestone.

O Outerknown Fiji Pro será transmitido pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo da WSL e no Facebook Live através da página da World Surf League no Facebook, passando ao vivo também pela ESPN+ e globoesporte.com no Brasil, CBS Sports Network nos Estados Unidos, Fox Sports na Austrália, SKY NZ na Nova Zelândia, SFR Sports na França e em Portugal e EDGE Sports Network na China, Japão, Malásia e outros territórios asiáticos.

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – A World Surf League (WSL), antes denominada Association of Surfing Professionals (ASP), tem como objetivo celebrar o melhor surf do mundo nas melhores ondas do mundo, através das melhores plataformas de audiência. A Liga Mundial de Surf, com sede em Santa Mônica, na Califórnia, atua em todo o globo terrestre, com escritórios regionais na Austrália, África, América do Norte, América do Sul, Havaí, Europa e Japão.

A WSL vem realizando os melhores campeonatos do mundo desde 1976, promovendo os eventos que definem os campeões mundiais masculino e feminino no Championship Tour, além do Big Wave Tour, Qualifying Series e das categorias Junior e Longboard, bem como o WSL Big Wave Awards. A Liga tem especial atenção para a rica herança do esporte, promovendo a progressão, inovação e desempenho nos mais altos níveis.

Os principais campeonatos de surf do mundo são transmitidos ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo grátis WSL app. A WSL já possui uma enorme legião de fãs apaixonados em todo o planeta que acompanha as performances dos melhores surfistas do mundo, como Gabriel Medina, John John Florence, Adriano de Souza, Kelly Slater, Stephanie Gilmore, Greg Long, Makua Rothman, Carissa Moore, entre outros, competindo no mais imprevisível e dinâmico campo de jogo entre todos os esportes no mundo, que é o mar.

Para mais informações, visite o WorldSurfLeague.com

———————————————————–

Por: Surf Today / Fonte: João Carvalho – WSL South America Media Manager – jcarvalho@worldsurfleague.com

Sobre JR Mirabelli

Comments are closed.

Voltar ao Topo