Principal / NOTÍCIAS / Brasil mantém tradição com Weslley Dantas campeão no Mundial Júnior 2016.
Brasil mantém tradição com Weslley Dantas campeão no Mundial Júnior 2016.

Brasil mantém tradição com Weslley Dantas campeão no Mundial Júnior 2016.

 

Brasil mantém tradição com Weslley Dantas campeão.

 

Confederação Brasileira de Surf mantém marca, iniciada em 2010, de atleta campeão em ano par

O Brasil garantiu, entre 39 seleções, a sexta posição em Açores, Portugal, no Mundial Júnior da International Surfing Association (ISA) no qual Weslley Dantas, paulista de Ubatuba, faturou o último título Sub 18 e manteve a tradição, iniciada em 2010 com Gabriel Medina, da Confederação Brasileira de Surf ter nos anos pares o campeão Sub 18 na seleção, tabu que o presidente da entidade, Adalvo Argolo, pretende quebrar e melhorar já em 2017, não só com o Brasil voltando a trazer medalha por seleções como fazendo campeões nas outras três divisões além da Júnior masculina faturada por Weslley ao se despedir da categoria abaixo de dezoito anos com o título máximo da ISA para atletas que iniciam o ano fora da maioridade.

Decisão na areia

Com suas duas maiores notas na final sendo iguais 6,67 pontos, Weslley somou 13,34 de média total, quase superada no último ataque do peruano Alonso Correa, também autor de notas excelentes em fases anteriores e que na final fez a melhor nota em uma onda (7,40) e elevou sua soma final para 13 pontos, resultado que lhe garantiu apenas ser vice de Weslley Dantas e definição aguardada por ambos já na areia e com apreensão deles e dos demais atletas das suas seleções, embora a do Brasil já ensaiasse a festa pela vitória do colega nos quase dez dias do evento internacional.

______boys_under_18_1_rezendes

Iluminado

“Ano passado (Na edição 2015 nos Estados Unidos) eu fiquei na semifinal, depois me dediquei bastante, prometi a Deus que ia vencer e ele me iluminou para que eu conseguisse essa vitória” disse Weslley antes de receber a penúltima medalha de ouro na praia de Monte Verde, onde a Ilha de São Miguel foi palco por seleções da vitória da França que para tanto somou o primeiro lugar Sub 16 com Thomas Debierre, enquanto a versão feminina mais jovem foi faturada pela norte-americana Caroline Marks, do mesmo Estados Unidos do qual também é cidadã Brisa Hennessy, ouro na Júnior e  representante do medalhista de bronze Havaí, que superou o quarto colocado Japão  ao ficar só atrás da vice Austrália e da campeã geral França.

0bra_weslley_dantas_evans18 1

Talentos e recordes

Mais uma vez superando falta de recursos de muitos atletas e da Confederação Brasileira de Surf, à frente Adalvo Argolo, o Brasil conseguiu levar um time bastante competitivo e de talento.

O Brasil sofreu dois reveses não esperados, um deles ter sido prejudicado pela questionada virada sofrida pelo Júnior Raul Bormann na primeira bateria da quinta-feira quando ele perdeu a vaga justamente para um atleta do país com o qual disputaríamos a quinta colocação, os Estados Unidos.

 A virada do atleta rival se deu por um décimo mesmo não tendo ocorrido na avaliação feita por três dos cinco árbitros, porém no critério de corte da maior e menor nota de cada onda, os pontos de um dos três juízes aproveitados foi decisivo para aumentar à média.

Outra baixa precoce e inesperada foi resultado do corte total da menor de uma das duas notas que o Sub 16 e favorito mirim Samuel Pupo somaria caso não tivesse cometido uma interferência, que consiste em atrapalhar a onda quando a posse dela está definida por rodízio em favor de um adversário, caso não tivesse sido penalizado Samuel não só teria avançado a semifinal dos abaixo de dezesseis anos como teria estabelecido 19, 14 pontos de média, recorde absoluto do mirim paulista que já é visto como um dos brasileiros candidatos a repetir o título Júnior do compatriota Weslley Dantas e também a ajudar o Brasil na conquista por seleções em dois futuros mundiais e até mesmo no evento no qual todos os integrantes da seleção em Açores e a maioria dos surfistas do mundo, a exemplo de Gabriel Medina, vislumbra passar parafina na prancha, a Olimpíada de Tóquio em 2020.

Doze

Nos Açores, a seleção brasileira CBSurf disputou o ISA World Junior Surfing Championship  com jovens surfistas de sete estados. Além de Weslley, e Samuel Pupo, de São Paulo, outros representantes do país foram Carol Boneli, Karol Ribeiro, Maju Freitas e Vitor Ferreira, do Rio de Janeiro, Leonardo Berbet, do Rio Grande do Norte, Jonas Pereira Marretinha, da Paraíba, Arthur Cerqueira, da Bahia, Raul Bormann e Cauã Nunes, de Pernambuco e Deyse Costa, do Pará.

 A Confederação Brasileira de Surf aguarda, especialmente para 2017, ter maiores condições de investimentos nas categorias de base do surfe nacional.

Resultados gerais ISA World Júnior Surfing Championship 2016

PAÍSES

1º FRANÇA 6725 730 500 500 400 1000 610 555 300 670 610 450 400

2º AUSTRÁLIA 6595 670 610 500 450 860 555 390 300 500 450 860 450

3º HAVAÍ *5925 610 555 400 400 450 450 345 300 1000 360 555 500

4º JAPÃO 5468 450 360 360 240 730 670 488 300 500 360 610 400

5º ESTADOS UNIDOAS 5450 400 360 360 320 610 390 390 210 400 400 1000 610

6º BRASIL 4988 1000 320 240 240 488 390 390 300 450 400 450 320

*Havaí, ainda competindo em separado dos EUA

Sub 18

1º Weslley Dantas BRA 13,34 1st=1st=1000 points

2º Alonso Correa PER 13,00

3º Colin Doyez FRA 8,40   4º Harley Ross AUS 7,74

Sub 18 Feminina

1ªBrisa Hennessy HAV 11,33

2ª Vahine Fierro TAH 8,26

3ª Leilani McGonagle CRC 7,97

4ª Juliette Brice FRA 4,60

Sub 16 

1ºThomas Debierre FRA 12,50

2º Kyuss King AUS 7,87

3º Yuji Mori JPN 7,53

4º Yuji Nishi JPN 2,83

Sub 16 Feminina

1ª Caroline Marks EUA 14,6

2ª India Robinson AUS 7,93

3ªElin Tawharu NZL 2,44

4ºEllie Turner GBR 5,17

*Completo em http://isaworlds.com/juniors/2016/en/results/

Por: Surf Today / Fonte: CBS

Sobre JR Mirabelli

Comments are closed.

Voltar ao Topo