Principal / Fabio Maradei / Circuito Medina/ASM 2016 adota regra de prioridade nas baterias para preparar os futuros talentos do surf em disputas profissionais.
Circuito Medina/ASM 2016 adota regra de prioridade nas baterias  para preparar os futuros talentos do surf em disputas profissionais.

Circuito Medina/ASM 2016 adota regra de prioridade nas baterias para preparar os futuros talentos do surf em disputas profissionais.

Meeting. Foto capa: Jorge Mesquita.

image001

2ª ETAPA ESTÁ CONFIRMADA PARA OS DIAS 30 E 31 NA PRAIA DE MARESIAS

 

Mais do que um evento revelador de novos valores, o Circuito Medina/ASM 2016 está atuando como uma preparação de jovens surfistas para o futuro na carreira profissional. A competição serve como seletiva para os atletas que integrarão o Instituto Gabriel Medina e inova, adotando a regra de prioridade nas baterias, no mesmo modelo usado nos campeonatos profissionais, inclusive no WCT.

A ideia é preparar os competidores para a sequência na carreira, como profissionais. A iniciativa já foi utilizada na abertura do Circuito, com ótima aceitação pelos surfistas, que tiveram, inclusive, um meeting com experientes juízes de surf para detalhamento da regra. Agora, na segunda etapa, nos próximos dias 30 e 31, na Praia de Maresias, em São Sebastião, o sistema de prioridade volta a ser aplicado com os surfistas das categorias sub14 e sub16.

Diretor técnico da Abrasp, Paulo Motta elogiou a novidade criada no evento, otimizando a qualidade de performance dos atletas. “A utilização do sistema de prioridades por atletas da nova geração cria um novo conceito de competitividade muito mais relacionado com o desempenho do que com a tática”, explica.

“A regra dificulta a marcação e delega ao detentor da prioridade um direito de escolha da onda. Pela lógica, todos os competidores terão direitos iguais para escolherem ondas, sem que haja uma intervenção deliberada de seu oponente. Antes, era possível segurar um atleta na bateria para impedi-lo de obter êxito”, afirma Paulo, definindo de forma simples o sistema. “Funciona quase como uma fila de colégio, onde a ordem de chegada deve ser respeitada”, resume Paulo, juiz desde 1998.

Marcelo Nunes, o Papel, head judge da Abrasp, também destaca a inovação no Circuito Medina/ASM 2016, como benefício à formação dos novos valores da modalidade. “Quanto mais cedo prepararmos essa molecada com as técnicas de competição aqui no Brasil será melhor para formamos grandes atletas, pois a regra de prioridade chegou para ficar e quem estiver melhor adaptado sairá na frente”, comenta.

“Fizemos um meeting técnico muito bacana com sala cheia. Participaram atletas técnicos e pais. No começo eles estavam um pouco assustados, mas depois de dezenas de perguntas, ficaram bem mais tranquilos, porém somente na prática mesmo para essa nova geração acostumar com essas regras de prioridades”, complementa Papel, juiz há 18 anos.

Paulo Motta reforça o elogio, lembrando a sua própria história como competidor profissional. “Passei por inúmeras situações de stress dentro de uma competição. As regras de interferência foram evoluindo com o passar dos anos, tentando coibir este tipo de atitude e creio que a de prioridade ser mais um passo neste processo”, explica. “Os juízes nunca são lembrados pelo acerto e pela consistência com que executam sua tarefa. Geralmente são lembrados quando uma possível falha ocorre e temos aqui no Brasil uma das mais sólidas equipes de julgamento e profissionais de staff do mundo”, completa.

A 2ª etapa do Circuito Medina/ASM 2016 reunirá as categorias sub10, sub12, sub14 e sub16 masculinas e sub12 e sub16 femininas. Patrocinado por Gabriel Medina, primeiro brasileiro campeão mundial de surf, o evento é a primeira forma de avaliação para a escolha dos atletas que participarão da primeira turma de seu Instituto, na mesma Maresias. A instituição reunirá 60 surfistas com até 16 anos de idade, que terão toda a estrutura necessária para a preparação – física e técnica – igual a do próprio Medina.

Na etapa inicial, as vitórias ficaram com Daniel Adisaka, de Ubatuba, e Maju Freitas, do Rio de Janeiro, na sub16; Eduardo Motta, de Guarujá, na sub14; os talentos locais Caio Costa e Pamella Mel, na sub12; e Ryan Kainalo, de São Paulo, na sub10. No total, serão três etapas, com a final em novembro. Os campeões gerais da sub16 (masculina e feminina), sub14 e sub12 (ambas na masculina) ganharão passagens aéreas para a Califórnia. Além disso, os quatro primeiros colocados de cada categoria, que sejam de Maresias, serão convidados a fazer parte da equipe do Instituto Medina, além de ganharem pranchas. Nas etapas, são distribuídos troféus e kits.

O Circuito Medina/ASM 2016 tem os patrocínios da Oi, Guaraná Antarctica, B.Blend, Vult Cosmética e Rip Curl, com apoios de Wizard Idiomas, Restaurante Terral, Pousada Tambayba, DB Cópias, Cabianca Surfboards, Federação Paulista de Surf, Associação de Surf de São Sebastião e Somar. Realização da Associação de Surf de Maresias (ASM) e Prefeitura Municipal de São Sebastião, através do Departamento de Esportes Náuticos da Secretaria de Esportes.

Por: Surf Today / Fonte: 

image009

Sobre JR Mirabelli

Comments are closed.

Voltar ao Topo