Principal / NOTÍCIAS / Do North Shore havaiano para a segunda etapa do Circuito South to South de Surf Vicentino 2018.
Do North Shore havaiano para a segunda etapa do Circuito South to South de Surf Vicentino 2018.

Do North Shore havaiano para a segunda etapa do Circuito South to South de Surf Vicentino 2018.

Festival Nacional de surf Itamambuca 1984. Foto: Arquivo Pessoal

10a0f233-f3f8-4c49-8275-69c30c7640e1

ASVS logo2

O ex-surfista profissional Maurício Orelhinha será um dos destaques na categoria Master do Circuito South to South de Surf Vicentino 2018, apresentado pela Lines SurfShop

São Vicente, no Litoral Sul de São Paulo, foi onde tudo começou para o ex-surfista profissional Maurício de Oliveira Kuhne, o Maurício “Orelhinha”, atualmente com 57 anos, e morando no North Shore da ilha de Oahu no Havaí, considerado a capital mundial do surfe e das ondas perfeitas. No Brasil, desde o dia 6 de agosto, ele já confirmou presença no Circuito South to South de Surf Vicentino 2018, apresentado pela Lines SurfShop, que acontece entre os dias 18 e 19 de agosto, na Praia de Itararé, em São Vicente, com supervisão da Federação Paulista de Surfe.

O evento dará premiação de R$ 3 mil em dinheiro, além de uma passagem aérea para o Peru, entregue ao campeão de todo o circuito, na categoria PRO/AM. Os demais campeões receberão kits e pranchas de surfe.

 images

Incentivado pelo pai desde pequeno a deslizar pelas ondas do Itararé com uma prancha de isopor, Maurício não demorou muito para começar a despontar nos eventos locais de surfe. “Minha prancha de verdade eu ganhei aos 11 anos, produzida pelo saudoso Nelson Excel, grande surfista e fabricante de pranchas na época. Com alguns campeonatos acontecendo logo me envolvi e peguei gosto pelas competições, adquirindo experiências e, não demorou muito para conquistar o apoio dos irmãos Argento, proprietários das pranchas e produtos Twin”, conta.

 

Em 1977, Orelhinha participou do campeonato Quebra Mar Inverno 77, onde reuniu ícones do surfe brasileiro e terminou em 3º lugar atrás do Almir Salazar – primeiro campeão nacional profissional de Portugal -, que na ocasião foi o campeão do evento e Cisco Araña ficou com segunda colocação. Mas, foi na década de 80 que ele conquistou seus melhores resultados. “Em 1984, venci o Festival Nacional de Ubatuba, realizado na praia de Itamambuca. Na semana anterior fiz a final do Festival Brasileiro de Surf, evento vencido pelo Taiu Bueno, onde terminei em quarto lugar”, relata.

 

Ele é acostumado com as poderosas ondas havaianas desde os anos de 1976, mas foi a partir de 91, que juntamente com a sua esposa, criaram raízes na Ilha. Agora, está de volta ao Brasil, onde tudo começou, e será um dos participantes da segunda etapa do Circuito South to South de Surf Vicentino 2018, apresentado pela Lines SurfShop. “Muito feliz em ver o surf vicentino em boas mãos e com competições acontecendo novamente, dando oportunidade não só a nova geração em adquirirem experiência, mas também a velha guarda do surfe local em poder reviver os bons tempos de campeonatos, além da vibe muito boa de estarmos reunidos e surfando com os amigos em nossa praia, aonde tudo começou”, ressalta Orelhinha.

 WhatsApp Image 2018-05-07 at 12.14.15c

As inscrições continuam para os não sócios da Associação São Vicente de Surfe (ASVS) e atletas de outras cidades, como forma de promover maior intercâmbio, e vão até o dia 15 de agosto, no valor de R$ 110,00, na PRO/AM e, nas demais categorias, R$ 70,00.

Sobre o cenário atual do surfe nacional no mundo, Maurício desabafou. “Somos a nação do surfe mundial atualmente, na maioria das vezes somamos o maior número de representantes em uma única competição. Uma conquista que envolve atletas, mas também os responsáveis em fazer isso acontecer, como técnicos, preparadores físicos, patrocinadores e quem mais que tenha um envolvimento direto neste processo. Também temos que valorizar o produto nacional. No Brasil há excelentes fabricantes de pranchas, bons acessórios e por isso temos que acreditar no nosso mercado interno. É uma engrenagem e o resultado será mais apoios aos atletas e no esporte em geral. Há muitos empresários que ganham com isso e não retornam nem em apoio aos atletas e nem oferecem incentivos às associações locais. Na minha opinião esta cultura está na hora de mudar”, disse.

A associação destaca que, no ranking final, serão declarados campeões apenas os surfistas do município de São Vicente. As inscrições são feitas na loja Lines Surf Shop, na rua Padre Anchieta, 326, em São Vicente. As categorias disponíveis para os cerca de 120 atletas previstos, nesta segunda etapa, estão divididas em PRO/AM; petit; estreante; iniciante; mirim; júnior; feminino; master; longboard; e standup.

O evento tem patrocínio da South to South, co-patrocínio da Cacau Center, Rubber Sticky, Keahana, e MetalNox, e apoio da Nova Era’s, Ymage, Terraço, CS Noivas, Fu-Wax, Mega Sorte Loterias, Trifins, Surferia Bar, O Pastelão Delivery, BigFrio, Espaço Bella Mama, Drogaria Boa Vista, E.R.A Resgate e Eko Açai e divulgação da CRSCom e divulgação da CRSCom. Além da Compact Surfboards, Wave Attack, Mag Surfboards, Shaper Marcelo Mota, Grellet Surfboards, Classic Longboards, RipTide surfboards, MS surfboards, Rolling Surfboards

10a0f233-f3f8-4c49-8275-69c30c7640e1a

Por: Surf Today / fonte: 

Assinatura CRSCOM

Sobre JR Mirabelli

Comments are closed.

Voltar ao Topo