Principal / LONGBOARD / Festival Santos de Longboard seguirá critério de julgamento usado pela WSL.
Festival Santos de Longboard seguirá critério de julgamento usado pela WSL.

Festival Santos de Longboard seguirá critério de julgamento usado pela WSL.

Théo Cabeleira é o nome certo na categoria Júnior. Foto: arquivo pessoal.

Estilo tradicional será valorizado nas notas do evento no Quebra-Mar.

O estilo tradicional será valorizado nas notas do Festival Santos de Longboard, competição patrocinada pela Rumo Logística, que será disputada no Quebra-Mar, nos dias 16 e 17 de abril ou 23 e 24, no final de semana que oferecer melhores condições de ondas. Apesar de criado com caráter de confraternização, o evento terá notas, pódios e premiação.

A manobra mais ‘clássica’ nos pranchões, o caminhar na prancha, valerá a nota mais bem avaliada pelos juízes. É o famoso ‘Hang Ten’, quando o surfista coloca os dois pés (e os dez dedos) no bico, e também o ‘Hang Five’ (um dos pés na frente), acompanhados do estilo, controle e fluidez.

Head-judge (juiz principal) do Mundial Profissional de Longboard, Mauro Rabellé explica que o campeonato seguirá o critério de julgamento usado pela World Surf League. “Mesmo com o ambiente festivo, o pessoal estará na água batalhando pela vitória. Então, o surfista deve executar manobras controladas na seção crítica da onda, utilizando a prancha e a onda inteira, usando o estilo de surf tradicional de pranchão”, afirma.

“Quem realizar estas manobras com o maior estilo, habilidade, fluidez, de acordo com o grau de dificuldade, receberá a nota mais alta pela onda completada”, destaca Mauro, acrescentado que os juízes estarão atentos às manobras feitas no bico, variedade, velocidade e força, empenho, controle e trabalho com os pés.

Nomes de ponta e ícones da modalidade estarão reunidos no encontro exclusivo dos pranchões. Desde pioneiros como Chico Paioli, José Luiz Sant’Anna e Fábio Boturão, surfistas conhecidos mundialmente, como Picuruta Salazar, a profissionais como Carlos Bahia, Jaime Viúdes e Caio Teixeira, passando por futuros talentos, como Théo Cabeleira (na júnior). “Como já falamos, o objetivo é fomentar e resgatar a modalidade. E nada melhor do que ser em Santos, pico do mais famoso surfista de pranchões do País, o Picuruta”, ressalta Marcos Andrade, o Cabeça, presidente da Associação Santos de Surf.

Por: Surf Today / Fonte:  Fábio Maradei

 

Sobre JR Mirabelli

Comments are closed.

Voltar ao Topo