Principal / NOTÍCIAS / Medina e Silvana estreiam com vitórias no WCT 2015 da World Surf League!!!
Medina e Silvana estreiam com vitórias no WCT 2015 da World Surf League!!!

Medina e Silvana estreiam com vitórias no WCT 2015 da World Surf League!!!

Gabriel Medina. Foto Kelly Cestari WSL

Fevereiro 28, 2015 

Sábado de praia lotada em Snapper Rocks para assistir a primeira apresentação dos melhores surfistas do mundo no Samsung Galaxy World Surf League Championship Tour e desta vez o centro das atenções era Gabriel Medina. O campeão mundial também defende o título do Quiksilver Pro Gold Coast e mostrou o seu arsenal de manobras modernas para poder vencer um dos estreantes na elite dos top-34 do WCT, o paulista Wiggolly Dantas, além do norte-americano Dane Reynolds. A multidão vibrou com a virada de Medina nos minutos finais e acompanhou o novo fenômeno do esporte pela praia. A outra única vitória brasileira no primeiro dia foi da cearense Silvana Lima, que carimbou a faixa da campeã mundial Stephanie Gilmore com o recorde de 18,16 pontos entre as meninas no seu retorno triunfal a elite do WCT.

Já a vitória de Medina foi a única do Brasil entre os homens e os outros seis vão ter que disputar a segunda fase, assim como os campeões mundiais Mick Fanning, Kelly Slater e C. J. Hobgood, que também começaram a temporada com derrotas na Austrália. Medina e Wiggolly Dantas fizeram um grande duelo de backsiders nas direitas perfeitas de Snapper Rocks. O igualmente estreante Matt Banting tinha acabado de superar o também australiano Mick Fanning no confronto anterior e Wiggolly quase repete o feito. Ele começou bem, manobrando forte numa boa onda e largou com nota 8,00, contra 7,83 do campeão mundial. Mas Medina assumiu a ponta em outras duas boas ondas seguidas que valeram 7,70 e 8,80.

Só que Wiggolly também mostrou a potência do seu backside massacrando uma direita com uma série de manobras executadas com velocidade para arrancar 8,93 dos juízes e abrir 8,14 pontos de vantagem nos 5 minutos finais da bateria. Medina não desistiu e achou a onda que abriu uma parede mais longa para usar sua variedade incrível de manobras modernas e conseguir nota 9,5 dos juízes. Com ela, virou o placar com um novo recorde de 18,30 pontos para o campeonato, mas Wiggolly fez bonito e deu trabalho para o campeão, enquanto o norte-americano Dane Reynolds foi um mero coadjuvante. Medina passou direto para a terceira fase e Wiggolly vai enfrentar o experiente australiano Kai Otton em sua segunda apresentação no WCT, na 11.a e penúltima bateria da repescagem.

ESTREANTES DO BRASIL – Os dois estreantes do Brasil no seleto grupo dos top-34 que participa da disputa do título mundial no Samsung Galaxy World Surf League Championship Tour 2015, foram criados em ondas para a direita como as de Snapper Rocks. Wiggolly Dantas, 25 anos, cresceu surfando na Praia de Itamambuca, em Ubatuba, litoral norte de São Paulo, e Italo Ferreira, 19, surgiu nas direitas do Pontal de Baía Formosa, no extremo sul do Rio Grande do Norte. O potiguar também surfou bem a sua primeira bateria no WCT e ganhou nota 8,5 dos juízes em sua melhor onda. Mas, o australiano Julian Wilson surfou duas muito boas para vencer por 15,43 a 14,97 pontos, com o norte-americano Kolohe Andino ficando em último com 10,43.

Italo Ferreira agora fará o seu primeiro duelo homem a homem no WCT contra o experiente australiano Adrian Buchan, na nona bateria da segunda fase, iniciando uma sequência de participações brasileiras que vai até o fim da repescagem. São mais dois confrontos diretos entre Brasil e Austrália, entre Filipe Toledo e Adam Melling seguido por Wiggolly Dantas contra Kai Otton, antes da disputa 100% verde-amarela do também paulista Miguel Pupo com o potiguar Jadson André.

Já o primeiro brasileiro a competir no segundo dia do Quiksilver Pro Gold Coast será Adriano de Souza, na quarta repescagem com o norte-americano campeão mundial de 2001, C. J. Hobgood. Mineirinho estreou junto com outro paulista, Filipe Toledo, mas o havaiano Dusty Payne não desperdiçou a ótima onda que surgiu para ele fazer uma longa sequência de manobras por várias sessões ao longo da praia. Um dos cinco juízes chegou a dar nota 10, mas a média ficou em 9,67, marca que só não superou a 9,73 recebida por Mick Fanning e foi o recorde de nota do dia.

DERROTAS BRASILEIRAS – A temporada 2015 já não havia começado bem para o Brasil, com o paulista Miguel Pupo ficando em último na bateria que abriu o Quiksilver Pro Gold Coast no sábado. Não entraram muitas ondas para os três primeiros surfistas que competiram em Snapper Rocks. Vice-campeão na final contra Gabriel Medina no ano passado, o australiano Joel Parkinson ganhou a primeira vaga direta para a terceira fase por 15,16 pontos, o norte-americano Brett Simpson ficou em segundo 11,87 e Miguel Pupo em terceiro com 11,00 pontos.

O segundo a entrar no mar foi o potiguar Jadson André, logo depois do havaiano Fredrick Patacchia mandar Kelly Slater para a repescagem somando 17,06 pontos com notas 8,73 e 8,33. Jadson só conseguiu surfar uma onda regular na casa dos 7 pontos e deu Havaí de novo com John John Florence, que destruiu uma direita de com um leque de manobras impressionante que lhe rendeu uma nota 9,07 e a vitória por 16,80 pontos. Por uma pequena diferença, o irlandês Glenn Hall superou Jadson André por 12,84 a 12,57, com ambos computando nota 7,17 na melhor onda.

Silvana Lima (Foto: Kelly Cestari / WSL)

RETORNO TRIUNFAL DE SILVANA LIMA – Depois dos homens competirem, as meninas também estrearam no sábado com a rodada de apresentação do Roxy Pro Gold Coast fechando o primeiro dia do Samsung Galaxy World Surf League Championship Tour na Austrália. E a estreia mais espetacular foi a da brasileira Silvana Lima, que massacrou uma onda com uma série de seis batidas e rasgadas com pressão e velocidade para carimbar a faixa da pentacampeã mundial Stephanie Gilmore na sua primeira defesa de título em Snapper Rocks.

A cearense ganhou nota 9,33 nesta onda para registrar o maior placar do dia entre as meninas, 18,16 pontos de 20 possíveis com o 8,33 da primeira que ela surfou na bateria que marcou o seu retorno triunfal à divisão de elite do esporte. Com 30 anos de idade, Silvana Lima é a Kelly Slater do WCT feminino e Stephanie Gilmore, com 27 completados em janeiro, é a segunda mais velha no grupo das top-17 que tem uma média de apenas 22 anos de idade.

Não foi só a número 1 do mundo que tropeçou na estreia e terá que encarar uma rodada extra na Gold Coast. A vice-campeã mundial, Tyler Wright, foi igualmente derrotada no confronto seguinte pela também australiana Dimity Stoyle. Já as outras integrantes do seleto grupo das top-5 do ano passado confirmaram o favoritismo, com a australiana Sally Fitzgibbons e as havaianas Carissa Moore e Malia Manuel, passando direto para a terceira fase.

O prazo do Quiksilver Pro Gold Coast e do Roxy Pro Gold Coast começou neste sábado e vai até 11 de março em Snapper Rocks, em Coolangata, Queensland, com as duas competições sendo transmitidas ao vivo da Austrália pelo www.worldsurfleague.com

Assista ao HighLights do primeiro dia de competição:

SEGUNDA FASE DO QUIKSILVER PRO GOLD COAST – Vitória=Terceira Fase / Derrota=25.o lugar com 500 pontos:

1.a: Mick Fanning (AUS) x Dane Reynolds (EUA)

2.a: Kelly Slater (EUA) x Jack Freestone (AUS)

3.a: Michel Bourez (TAH) x Glenn Hall (IRL)

4.a: Adriano de Souza (BRA) x C. J. Hobgood (EUA)

5.a: Taj Burrow (AUS) x Ricardo Christie (NZL)

6.a: Josh Kerr (AUS) x Brett Simpson (EUA)

7.a: Kolohe Andino (EUA) x Jeremy Flores (FRA)

8.a: Owen Wright (AUS) x Keanu Asing (HAV)

9.a: Adrian Buchan (AUS) x Italo Ferreira (BRA)

10: Filipe Toledo (BRA) x Adam Melling (AUS)

11: Kai Otton (AUS) x Wiggolly Dantas (BRA)

12: Miguel Pupo (BRA) x Jadson André (BRA)

RESULTADOS DO SÁBADO EM SNAPPER ROCKS NA GOLD COAST:

PRIMEIRA FASE CLASSIFICATÓRIA – Vitória=Terceira Fase / 2.o e 3.o=Segunda Fase:

1.a: 1-Joel Parkinson (AUS)=15.16, 2-Brett Simpson (EUA)=11.87, 3-Miguel Pupo (BRA)=11.00

2.a: 1-Sebastian Zietz (HAV)=14.60, 2-Michel Bourez (TAH)=14.44, 3-Ricardo Christie (NZL)=8.94

3.a: 1-Fredrick Patacchia (HAV)=17.06, 2-Kelly Slater (EUA)=14.43, 3-C. J. Hobgood (EUA)=12.50

4.a: 1-John John Florence (HAV)=16.80, 2-Glenn Hall (IRL)=12.84, 3-Jadson André (BRA)=12.57

5.a: 1-Matt Banting (AUS)=17.76, 2-Mick Fanning (AUS)=17.06, 3-Jack Freestone (AUS)=15.83

6.a: 1-Gabriel Medina (BRA)=18.30, 2-Wiggolly Dantas (BRA)=16.93, 3-Dane Reynolds (EUA)=8.27

7.a: 1-Jordy Smith (AFR)=16.14, 2-Kai Otton (AUS)=15.03, 3-Jeremy Flores (FRA)=12.67

8.a: 1-Dusty Payne (HAV)=16.34, 2-Adriano de Souza (BRA)=12.53, 3-Filipe Toledo (BRA)=11.66

9.a: 1-Bede Durbidge (AUS)=17.10, 2-Taj Burrow (AUS)=15.80, 3-Keanu Asing (HAV)=12.43

10: 1-Matt Wilkinson (AUS)=13.44, 2-Adrian Buchan (AUS)=5.04, 3-Josh Kerr (AUS)=4.10

11: 1-Julian Wilson (AUS)=15.43, 2-Italo Ferreira (BRA)=14.97, 3-Kolohe Andino (EUA)=10.43

12: 1-Nat Young (EUA)=15.80, 3-Adam Melling (AUS)=10.30, 3-Owen Wright (AUS)=9.10

ROXY PRO GOLD COAST – Vitória=Terceira Fase / 2.a e 3.a=Repescagem:

1.a: 1-Malia Manuel (HAV)=13.80, 2-Sage Erickson (EUA)=13.33, 3-Johanne Defay (FRA)=12.03

2.a: 1-Sally Fitzgibbons (AUS)=16.56, 2-Courtney Conlogue (EUA)=16.30, 3-Nikki Van Dijk (AUS)=12.50

3.a: 1-Silvana Lima (BRA)=18.16, 2-Stephanie Gilmore (AUS)=14.00, 3-Bronte Macaulay (AUS)=9.73

4.a: 1-Dimity Stoyle (AUS)=11.76, 2-Alessa Quizon (HAV)=10.26, 3-Tyler Wright (AUS)=6.97

5.a: 1-Carissa Moore (HAV)=15.00, 2-Tatiana Weston-Webb (HAV)=14.86, 3-Laura Enever (AUS)=12.00

6.a: 1-Lakey Peterson (EUA)=15.40, 2-Coco Ho (HAV)=14.13, 3-Bianca Buitendag (AFR)=12.63

 Por: Surf Today/ Fonte: João Carvalho – Assessoria de Imprensa da WSL South America – jcarvalho@worldsurfleague.com

Sobre JR Mirabelli

Comments are closed.

Voltar ao Topo