Principal / LONGBOARD / Monique Pontes em ascensão, local da praia do Itararé abre disputas da primeira fase do mundial de Longboard que acontece em Huanchaco, no Peru.
Monique Pontes em ascensão, local da praia do Itararé abre disputas da primeira fase do mundial de Longboard que acontece em Huanchaco, no Peru.

Monique Pontes em ascensão, local da praia do Itararé abre disputas da primeira fase do mundial de Longboard que acontece em Huanchaco, no Peru.

Monique Pontes. Foto: Divulgação

Local da praia do Itararé abre disputas da primeira fase do mundial de Longboard que acontece em Huanchaco, no Peru.

Radicada em São Vicente, na Baixada Santista, a longboarder Monique Pontes, 29 anos, encara seu primeiro mundial na categoria Longboard. Ela está no Peru, aonde abre as disputas femininas do Huanchaco Repalsa Longboard Pro apresentado pela Motorola, ao lado de Chloé Calmon (atual líder do ranking mundial) e Isabela Panza na primeira bateria da abertura da rodada nesta sexta-feira.

Com uma evolução meteórica, já que surfa há apenas três anos, Monique comemora a participação no evento mundial. “A expectativa é grande, por estar ao lado das melhores surfistas. Estou focada no aprendizado, em ganhar experiência e bagagem. Quero me espelhar no surfe dessa galera para me aperfeiçoar”, conta ela.

Sobre o reconhecimento obtido no esporte, ela é só alegria. “Meu surf deu uma alavancada e realmente as pessoas comentam sobre a melhora da minha leitura de onda e como venho surfando. Mas, sinto que isso é resultado do dia-a-dia, de estar sempre na água. Isto tem me deixado bem feliz e com vontade de surfar ainda mais”, declara ela.

Competidora nata, ela já foi campeã paulista de jiu-jitsu e vice-campeã brasileira de canoa havaiana em equipes, competindo no mesmo time da big rider Andrea Moller, brasileira radicada no Hawaii. “Competir é uma coisa bem natural na minha vida, até mesmo pra evolução no surf. Você se obriga a treinar mais e o desempenho evolui muito”, conta ela, que tem como manobra favorita o hang five.

O pranchão entrou na vida de Monique pelo incentivo do marido João Renato Moura, destaque na modalidade e vice-campeão sul-Americano de Canoa Havaiana Master. O surfe acontece diariamente, seja no quintal de casa, no Itararé, ou nas praias do Guarujá e Praia Grande. Educadora Física, ela está em dia com a preparação realizada fora da água. “Foquei apenas no psicológico para lidar com a ansiedade de competir contra as melhores do mundo e surfar ao lado de quem sempre me espelhei. Agora são as minhas parceiras na água”, diz a longboarder.

Essa é a primeira vez que Monique viaja sozinha para surfar. “Estou muito feliz. Peru é um dos lugares que semprei sonhei conhecer, com esquerdas perfeitas que favorecem meu estilo”, explica ela, que no ano passado pegou onda na Costa Rica e acumula na bagagem passagens pelas ondas uruguaias e da Califórnia.

A prova define os campeões sul-americanos da temporada 2017 da WSL South America em Trujillo, no litoral norte do país, local conhecido por ser um dos berços do esporte. O Huanchaco Repalsa Longboard Pro é um dos campeonatos mais tradicionais do mundo na modalidade praticada em pranchões e tem nova chamada nesta sexta-feira a partir das 8 horas (horário local).

Por: Surf Today / Fonte: Nancy Geringer

Sobre JR Mirabelli

Comments are closed.

Voltar ao Topo