Principal / Fabio Maradei / Murillo Coura mostra animação com chance de seu primeiro título entre os caçulas no Nossolar apresenta Hang Loose Surf Attack.
Murillo Coura mostra animação com chance de seu primeiro título  entre os caçulas no Nossolar apresenta Hang Loose Surf Attack.

Murillo Coura mostra animação com chance de seu primeiro título entre os caçulas no Nossolar apresenta Hang Loose Surf Attack.

Murilo Coura Hang Loose Surf Attack Maresias. Foto: Munir El Hage

image007 (1)

SURFISTA DE 10 ANOS É LÍDER DA SUB10 E UM DOS DESTAQUES NA DECISÃO DO CIRCUITO PAULISTA NO SÁBADO E DOMINGO NA PRAIA DO TOMBO, EM GUARUJÁ.

 

Até o ano passado ele morava em São José dos Campos. O surf era mais uma recreação, mas em pouco tempo, Murillo Coura se tornou uma das grandes promessas do surf paulista. Sua primeira paixão foi o skate, até por morar longe da praia, e aos poucos tomou gosto pelas ondas, incentivado pelo pai, também surfista. Nestes sábado e domingo (21 e 22), na Praia do Tombo, em Guarujá, o surfista de apenas 10 anos pode comemorar o seu primeiro título e logo no Nossolar apresenta Hang Loose Surf Attack, o mais tradicional circuito de categorias de base do País.

Ele chega na 4ª e última etapa do campeonato empatado com Daniel Duarte, de Bertioga, ambos com 2.556 pontos e tem “colado” na classificação, o paranaense Ryan Coelho, com 2.539 pontos, seu companheiro diário de treinos. “Dá um frio na barriga só de pensar. Será que vou ganhar? Vai ser muito boa a disputa”, afirma o sempre sorridente Murillo. 

Atualmente, o atleta faz parte do Instituto Gabriel Medina (IGM) e, por isso, mudou para Maresias. E foi nessa praia a sua primeira vitória, neste ano. Antes, chegou a morar em Ubatuba, depois que começou a se destacar justamente no Circuito Medina/ASM de Surf nesse mesmo pico de São Sebastião.

“Foi a primeira competição que fui querer ganhar. Fiquei em segundo, atrás do Ryan Kainalo. Daí, a gente mudou para Ubatuba e com a proposta do IGM fomos para Maresias”, conta o surfista. “Eu gostava mais de skate. Com o tempo, o meu pai foi me levando para a praia e tomei gosto. Aprendi a surfar com três anos. Ele me empurrava na onda e eu ia com boias nos braços”, lembra rindo, agradecendo os pais – Fabiano e Andresa – pelo total apoio nesse início de carreira.

No IGM, o surfista vem mostrando evolução nos treinos. “Meu surf está cada vez melhor. É muito legal tudo lá. A gente tem de levar a sério”, ressalta o competidor, que além de treinos de surf, conta com aulas de natação, apneia, core e também inglês, tecnologia, além de atendimento médico e odontológico.

A etapa final do Hang Loose Surf Attack tem início no sábado, às 8 horas. Além da petit, estarão em disputa as categorias estreante (sub12), iniciante (sub14), mirim (sub16) e júnior (sub18). Fora do mar, os participantes contam com diversas atrações na areia, para diversão quando não estão competindo, como pebolim, tênis de mesa, brincadeira e ginganas. As finais estão previstas para domingo, das 12h30 às 14 horas.

O Nossolar Construtora apresenta Hang Loose Surf Attack 2017 tem a organização da Federação Paulista de Surf, com patrocínios de Overboard Action Sports Store, Surftrip, Super Tubes e Hot Water. Copatrocínios de Rhyno Foam, CT Wax. Apoios:  Governo do Estado de São Paulo, prefeituras de Santos, Guarujá, São Sebastião e Ubatuba, Associação Santos de Surf, Associação de Surf de Guarujá, Associação de Surf de São Sebastião e Associação Ubatuba de Surf. Divulgação: Waves e FMA Notícias.

image010

Por: Surf Today / fonte:

image012

 

 

Sobre JR Mirabelli

Comments are closed.

Voltar ao Topo