Principal / NOTÍCIAS / Peruanos brilham em casa na Copa Triathlon Sport Reef Pro.
Peruanos brilham em casa na Copa Triathlon Sport Reef Pro.

Peruanos brilham em casa na Copa Triathlon Sport Reef Pro.

Alonso Correa (Foto: Kirfa Lens)

Um longo dia com 32 baterias disputadas, abriu a Copa Triathlon Sport Reef Pro nas boas ondas do sábado em San Bartolo, no Peru. Os peruanos fizeram as honras da casa, com Alonso Correa e Lucca Mesinas surfando as melhores ondas do dia entre os homens e Daniela Rosas fazendo o maior placar entre as meninas. Entre os surfistas de outros países, a equatoriana Dominic Barona ganhou a maior nota feminina e o brasileiro Guilherme Villas Boas conseguiu a terceira maior pontuação masculina. Os campeões das etapas do QS 1000 que abrem a disputa pelos títulos sul-americanos de 2018 da WSL South America, serão conhecidos neste domingo no famoso balneário peruano de San Bartolo.

Os peruanos são maioria entre os dezesseis surfistas que passaram pelas duas fases disputadas no sábado. Eles conquistaram metade das vagas para a rodada classificatória para as quartas de final, que vai abrir o domingo decisivo da Copa Triathlon Sport Reef Pro. São tantos que uma bateria ficou 100% peruana, com o campeão das duas últimas etapas do WSL Qualifying Series disputadas em San Bartolo, Miguel Tudela, Gabriel Villaran, Cristobal de Col e o jovem Jhonny Guerrero, que venceu a primeira bateria do dia no Peru.

Mais quatro peruanos estão divididos nas outras baterias desta terceira fase. Juninho Urcia vai competir na primeira, com o argentino Tomas Lopez Moreno e dois dos seis brasileiros classificados para o último dia, Guilherme Villas Boas e Wesley Santos. A segunda é a 100% peruana e Joaquin del Castillo está na terceira, com o chileno Guillermo Satt e mais dois brasileiros, Caetano Vargas e Renan Peres. E a batalha pelas duas últimas vagas para as quartas de final será um confronto direto entre Peru e Brasil, com os recordistas do sábado, Alonso Correa e Lucca Mesinas, enfrentando o bicampeão brasileiro Leonardo Neves e Diego Aguiar.

Miguel Tudela (Foto: Mauricio Espinoza)

DEFENSOR DO TÍTULO – Miguel Tudela ganhou as duas últimas etapas do QS em San Bartolo, em 2012 e 2017, mas no sábado só conseguiu se classificar para o domingo passando em segundo lugar nas duas baterias que disputou. Ele estreou na primeira do dia, vencida pelo jovem Jhonny Guerrero. Na segunda fase, passou atrás de outro peruano, Juninho Urcia. Agora, Miguel Tudela irá participar do confronto peruano valendo duas vagas para as quartas de final no domingo, contra Jhonny Guerrero de novo, Gabriel Villaran e Cristobal de Col.

“Estou contente por ter avançado e foi um pouco difícil, porque entraram poucas ondas, mas o importante era passar as baterias”, disse Miguel Tudela. “Meu objetivo aqui é tentar vencer de novo, pois daqui vou competir no QS de Martinica, depois Marrocos e Indonésia, então desejo somar bons pontos no ranking aqui. Espero que todos venham a praia amanhã torcer para os peruanos que estão surfando em alto nível, então esperamos que algum de nós ganhe aqui de novo em San Bartolo”.

Lucca Mesinas (Foto: Kirfa Lens)

MELHORES DO DIA – Miguel Tudela ainda não conseguiu mostrar todo o seu potencial, mas outros peruanos brilharam no sábado em San Bartolo. O primeiro destaque foi Sebastian Correa, que na décima bateria bateu todas as marcas do dia com a nota 8,75 da sua melhor onda e os 14,30 pontos que totalizou. Cinco baterias depois, seu irmão, Alonso Correa, surfou melhor ainda para se tornar o recordista absoluto da Copa Triathlon Sport Reef Pro. Ele arriscou tudo em sua última onda e completou as manobras para arrancar nota 9,35 dos juízes. Com ela, Alonso Correa atingiu imbatíveis 15,85 pontos de 20 possíveis.

Na segunda fase, dois surfistas chegaram perto destas marcas. Logo na primeira bateria, o brasileiro Guilherme Villas Boas fez bonito também numa boa onda para somar notas 8,00 e 7,20 na vitória por 15,20 pontos. O peruano Jhonny Guerrero também surfou bem para passar em segundo com 14,50, das notas 8,50 e 6,00 das suas duas melhores ondas. E na sétima e penúltima bateria do dia, o peruano Lucca Mesinas quase bate os recordes de Alonso Correa, ao atingir 15,55 pontos com notas 9,00 e 6,55.

Dominic Barona (Foto: Kirfa Lens)

QS 1000 FEMININO – As meninas também estrearam no sábado e a batalha pelos primeiros pontos na disputa pelo título sul-americano de 2018 começou quente nas boas ondas de San Bartolo. Na primeira bateria, a equatoriana Dominic Barona fez as marcas a serem batidas no QS 1000 feminino da Copa Triathlon Sport Reef Pro no Peru. Começou com nota 6,50 e a segunda onda foi melhor para Dominic mostrar a força das suas manobras e receber nota 8,75. Com ela, a equatoriana totalizou 15,25 pontos e a brasileira Yanca Costa passou em segundo lugar com 10,15, barrando a porto-riquenha Jolari Carreras e a chilena Jessica Anderson.

Na segunda bateria, a peruana Daniela Rosas também achou duas ondas boas para aumentar o maior placar feminino para 15,65 pontos, somando 8,00 com 7,65. A nota 8,75 de Dominic Barona permaneceu como recorde do dia, pois nenhuma menina conseguiu surfar uma onda melhor do que a equatoriana. Mas, as peruanas são sempre as favoritas para vencer, pois conhecem bem as ondas de San Bartolo e ganharam a maioria das etapas do QS em casa.

Sofia Mulanovich (Foto: Kirfa Lens)

CAMPEÃ MUNDIAL – Uma delas é a campeã mundial no World Surf League Championship Tour de 2004, Sofia Mulanovich, que tem dois títulos sul-americanos da WSL South America no currículo, de 2012 e 2015. A experiente surfista peruana estreou com vitória na quarta bateria e a jovem Flavia Cianciarulo surpreendeu ao ganhar a briga pela segunda vaga para o domingo, da também argentina Josefina Ané e da peruana Leilani Aguirre.

“Na verdade, sempre fico bastante nervosa na primeira bateria. Me senti nervosa na primeira onda, mas depois pude pegar duas ondas legais e me senti mais relaxada”, disse Sofia Mulanovich. “É muito importante começar bem e na verdade estou um pouco cansada, mas foi bom que passei. Agora é ir descansar para amanhã (domingo) vir com tudo. Estou contente por estar aqui, as ondas estão incríveis, as meninas estão surfando muito bem e vai ser um lindo evento, com certeza”.

TRICAMPEÃ SUL-AMERICANA – Outra favorita é Anali Gomez, que no ano passado festejou dois títulos em San Bartolo. No mês de julho, a peruana ganhou a etapa disputada pela primeira vez nas grandes ondas de Peñascal, para tirar a liderança do ranking da WSL South America da equatoriana Dominic Barona. Em outubro, conquistou um inédito tricampeonato sul-americano quando passou para a final da outra etapa do QS realizada pela Reef em San Bartolo, que foi vencida pela havaiana Bailey Nagy.

Daniela Rosas (Foto: Kirfa Lens)

Anali Gomez também estreou com vitória na Copa Triathlon Sport Reef Pro, mas só conseguiu a classificação na onda que surfou no último minuto da bateria. Ela terminou com Anali em terceiro lugar, mas ganhou nota 6,90 para pular para a primeira posição. Com isso, a também peruana Vania Torres ficou com a última vaga para o domingo decisivo e a brasileira Jessica Bianca Fermino acabou eliminada, junto com Havanna Cabrero, de Porto Rico.

As dezesseis meninas que passaram para o domingo estão divididas em quatro baterias classificatórias para as quartas de final da Copa Triathlon Sport Reef Pro. Entre as concorrentes ao título da primeira etapa do WSL Qualifying Series na América do Sul esse ano, estão seis brasileiras, cinco peruanas, três argentinas, uma surfista do Equador e uma do Chile. No sábado, as duas representantes de Porto Rico e a única de Barbados, perderam em suas estreias no QS 1000 do Peru.

Acompanhe a transmissão ao vivo da Copa Triathlon Sport Reef Pro direto do Peru pelo www.worldsurfleague.com e acesse as notícias dos eventos da WSL South America e da participação dos surfistas sul-americanos nos circuitos mundiais da World Surf League no www.wslsouthamerica.com

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – A World Surf League (WSL) tem como objetivo celebrar o melhor surfe do mundo nas melhores ondas do mundo, através das melhores plataformas de audiência. A Liga Mundial de Surf, com sede em Santa Mônica, na Califórnia, atua em todo o globo terrestre, com escritórios regionais na Austrália, África, América do Norte, América do Sul, Havaí, Europa e Japão.

A WSL vem realizando os melhores campeonatos do mundo desde 1976, realizando mais de 180 eventos globais que definem os campeões mundiais masculino e feminino no Championship Tour, além do Big Wave Tour, Qualifying Series e das categorias Junior e Longboard, bem como o WSL Big Wave Awards. A Liga tem especial atenção para a rica herança do esporte, promovendo a progressão, inovação e desempenho nos mais altos níveis, para coroar os campeões de todas as divisões do Circuito Mundial.

Os principais campeonatos de surf do mundo são transmitidos ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo grátis WSL app. A WSL tem uma enorme legião de fãs apaixonados pelo surf em todo o mundo, que acompanham ao vivo as apresentações de grandes estrelas, como Tyler Wright, John John Florence, Paige Alms, Kai Lenny, Taylor Jensesn, Honolua Blomfield, Mick Fanning, Stephanie Gilmore, Kelly Slater, Carissa Moore, Gabriel Medina, Courtney Conlogue, entre outros, competindo no campo de jogo mais imprevisível e dinâmico entre todos os esportes no mundo.

Para mais informações, visite o WorldSurfLeague.com.

Por: Surf Today / fonte: João Carvalho – WSL South America Media Manager (48) 999-882-986 – jcarvalho@worldsurfleague.com

Sobre JR Mirabelli

Comments are closed.

Voltar ao Topo