Principal / LONGBOARD / Piccolo Clemente dá show na busca do tri mundial de Longboard
Piccolo Clemente dá show na busca do tri mundial de Longboard

Piccolo Clemente dá show na busca do tri mundial de Longboard

Piccolo Clemente. Foto: Hain – WSL

O peruano Piccolo Clemente segue firme na busca pelo tricampeonato mundial de Longboard na China. O defensor do título da World Surf League ganhou a primeira nota 10 do ano no Jeep World Longboard Championship e atingiu incríveis 19,80 pontos de 20 possíveis nas ondas de 2-3 pés da quinta-feira em Riyue Bay, na Ilha Hainan. Além dele, os brasileiros Rodrigo Sphaier e Phil Rajzman também vão disputar classificação para as quartas de final na quarta fase masculina. Na feminina, a carioca Chloé Calmon já está entre as oito melhores e vai abrir as quartas de final enfrentando a havaiana Honolua Blomfield.

Chloé Calmon (Foto: Hain - WSL)
Chloé Calmon (Foto: Hain – WSL)

A brasileira foi semifinalista no Jeep World Longboard Championship do ano passado e está perto de repetir o feito, novamente com grandes apresentações na China. A nota 9,0 da sua melhor onda na bateria, garantiu a vitória por 16,67 pontos sobre a japonesa Natsumi Taoka e Justine Mauvin, da Ilha Reunião. A atual campeã mundial, Rachael Tilly, dos Estados Unidos, igualou essa marca no confronto seguinte e vai disputar a segunda quarta de final com a mesma Justine Mauvin.

“As ondas estão realmente muito boas hoje (quinta-feira). É o tamanho perfeito para Riyue Bay”,disse Chloé Calmon. “Foi bom para conseguir boas notas e fiquei muito feliz por aquele 9,0 que recebi. Eu tento não pensar o quão perto cheguei de ganhar o título mundial no ano passado. Mas, este é um novo ano, um novo campeonato, então eu procuro me concentrar no que está acontecendo agora para mim”.

Além da carioca Chloé Calmon, outra brasileira competiu mais uma vez no Jeep World Longboard Championship, a pernambucana Atalanta Batista. Ela foi eliminada pela japonesa Natsumi Taoka no desempate da maior nota na bateria encerrada com iguais 14,60 pontos para as duas. A peruana Maria Fernanda Reyes tinha acabado de perder por 14,40 a 13,00 para Alice Lemoigne, da Ilha Reunião, com ambas ficando em 13.o lugar, recebendo 1.300 dólares por suas participações no Mundial da WSL na China.

RECORDISTA ABSOLUTO – Na categoria masculina, Piccolo Clemente comanda o time sul-americano, formado por outro peruano e quatro brasileiros. Ele já venceu o Jeep World Longboard Championship duas vezes, em 2013 e 2015, agora tenta o tricampeonato mundial e na quinta-feira se tornou o recordista absoluto nas ondas de Riyue Bay, com a primeira nota 10 do ano e os 19,80 pontos da vitória sobre o sul-africano Tom King na terceira fase.

“As ondas estão bombando altas hoje (quinta-feira). É incrível ter ondas assim tão boas numa competição”, destacou Piccolo Clemente. “Como eu já venho dizendo, esta onda é semelhante com a que tenho treinado no Peru, então me sinto bem confiante para fazer minhas manobras. Definitivamente, eu ganhei muito mais confiança depois desta bateria e estou muito feliz pelas notas que consegui. Tomara que continue assim até o fim”.

Piccolo Clemente vai disputar a segunda vaga direta para as quartas de final contra outro bicampeão mundial, de 2009 e 2014, Harley Ingleby, da Austrália, além do sul-africano Matthew Moir. Até a fantástica apresentação do peruano, o melhor da sexta-feira nas ondas de Riyue Bay era o brasileiro Rodrigo Sphaier. Ele ganhou a primeira bateria da terceira fase despachando o francês Emilien Fleury por 18,66 a 13,10 pontos. O surfista de Saquarema (RJ) também vai abrir a primeira rodada classificatória para as quartas de final com o norte-americano Cole Robbins e o sul-africano Steven Sawyer.

Phil Rajzman (Foto: Hain - WSL)
Phil Rajzman (Foto: Hain – WSL)

Outro brasileiro que passou para a quarta fase foi o carioca Phil Rajzman, campeão mundial de 2007, que está na terceira bateria com o bicampeão de 2011 e 2012, Taylor Jensen, dos Estados Unidos, e o havaiano Kai Sallas. Na sexta-feira, ele derrotou o francês Timothee Creignou por 17,50 a 15,84 pontos, mas o time sul-americano sofreu duas baixas na terceira fase.

O primeiro a cair foi o brasileiro Jeferson Silva, eliminado pelo sul-africano Steven Sawyer por 16,17 a 15,86 na terceira bateria. E na sétima, o peruano Lucas Garrido Lecca, que tinha feito uma grande apresentação totalizando 17,17 pontos contra o favorito Tony Silvagni na segunda fase, foi barrado por outro norte-americano, o bicampeão mundial Taylor Jensen. Os dois terminaram em 17.o lugar no Jeep World Longboard 2016, recebendo 1.300 dólares de prêmio. Já o brasileiro Augusto Olinto não ganhou nenhuma bateria e ficou em 25.o, com 1.000 dólares pela participação no Mundial da World Surf League na China.

O Jeep World Longboard Championship está sendo transmitido ao vivo da Ilha Hainan pelo www.worldsurfleague.com

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – A World Surf League (WSL), antes denominada Association of Surfing Professionals (ASP), tem como objetivo celebrar o melhor surf do mundo nas melhores ondas do mundo, através das melhores plataformas de audiência. A Liga Mundial de Surf, com sede em Santa Mônica, na Califórnia, atua em todo o globo terrestre, com escritórios regionais na Austrália, África, América do Norte, América do Sul, Havaí, Europa e Japão.

A WSL vem realizando os melhores campeonatos do mundo desde 1976, que definem os campeões mundiais masculino e feminino no Samsung Galaxy Championship Tour, além do Big Wave Tour, Qualifying Series e das categorias Junior e Longboard, bem como o WSL Big Wave Awards. A Liga tem especial atenção para a rica herança do esporte, promovendo a progressão, inovação e desempenho nos mais altos níveis.

Os principais campeonatos de surf do mundo são transmitidos ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo grátis WSL app. A WSL já possui uma enorme legião de fãs apaixonados em todo o planeta que acompanha as performances dos melhores surfistas do mundo, como Gabriel Medina, John John Florence, Adriano de Souza, Kelly Slater, Stephanie Gilmore, Greg Long, Makua Rothman, Carissa Moore, entre outros, competindo no mais imprevisível e dinâmico campo de jogo entre todos os esportes no mundo, que é o mar.

Para mais informações, visite o WorldSurfLeague.com

———————————————————–

Por: Surf Today / Fonte: João Carvalho – WSL South America Media Manager – jcarvalho@worldsurfleague.com

 

Sobre JR Mirabelli

Comments are closed.

Voltar ao Topo