Principal / NOTÍCIAS / Qual a idade certa para iniciar a pratica esportiva?
Qual a idade certa para iniciar a pratica esportiva?

Qual a idade certa para iniciar a pratica esportiva?

Gabrielle Muntaner. Foto: Arquivo pessoal

Segundo a SBP (sociedade brasileira de pediatria) a idade certa é entre 5 e 7 anos mas, isso não é uma regra, o importante é respeitar a vontade e o desenvolvimento da criança, não se deve focar somente na idade. Minha recomendação é que, independente da idade, o início seja lúdico e sem competitividade, somente um pouco mais velha, aproximadamente com 12 anos, que a criança começa ter a necessidade da competitividade e a compreender de verdade como funcionam as regras e objetivos.

O esporte ajuda as pessoas a desenvolver a autoconfiança, autocontrole e a descobrir o próprio corpo, por isso é recomendado em qualquer idade. Em muitos casos que atendo em consultório, o esporte ajuda inclusive na superação da timidez e depressão.

O melhor esporte é aquele que tem a ver com o interesse da criança. É assim que ela vai ter motivação e prazer na prática de esporte. Muitos pais me perguntam “esporte individual ou coletivo?” e minha resposta muitas vezes é a mesma: depende de cada criança. Os esportes individuais como natação, surf, etc. possibilitam que a criança supere dificuldades de movimentos motores e desenvolvam a autoconfiança. São ideais para a crianças que apresentam um comportamento mais introvertido, se mostram tímidas ou inseguras. Já os esportes coletivos como futebol são adequados para a criança que já possui habilidades motoras e um comportamento seguro para atuar em parceria e cooperação.

A pratica regular, seja de esporte coletivo ou individual ensina de um modo geral o respeito as regras e a ser mais receptivo a criticas, a resolver conflitos, lidar com a frustração, cooperar e principalmente fazer amigos.

Para que a prática de esportes seja realmente um momento de aprendizagens e prazer para a criança, é fundamental que não ocorra exageros, os pais devem ficar atentos a sobrecarga. A criança, normalmente dá sinais quando algo não vai bem ou passa do limite. No geral, elas demonstram cansaço excessivo, ficam irritada com facilidade e dá desculpas para não ir à aula do esporte escolhido. Nestes casos é importante ouvir o que a criança tem a dizer e se adaptar a situação, seja mudando de esporte ou diminuindo a intensidade da pratica.

Avalie, reflita, converse e decida junto com seu filho o que é melhor para ele. Seu filho confia e conta com você para aprender a fazer escolhas.

Simone R. Simões mãe da atleta Gabrielle Muntaner opinou sobre este assunto, com muita propriedade, leia abaixo:

Um bom exemplo do que o esporte pode trazer pra criança em benefícios é a minha filha, a atleta Gabrielle Muntaner, que pratica Ballet desde os 4 anos, já fez natação também, mas a verdadeira paixão pelo esporte mesmo, começou quando ela conheceu o surf e a ginastica rítmica, aos 10 anos entrou para o mundo das competições em ambas as modalidades e ainda não decidiu realmente em qual ela quer se tornar uma atleta de alto rendimento, pois, essa decisão, a faria ter que abandonar uma ou outra modalidade e, por enquanto, ela consegue conciliar as duas, mas ela tem um prazo pra decidir, aos 12 anos, a modalidade que ela tiver com os melhores resultados, vai se tornar única, na verdade, o surf hoje, representa mais a vontade dela e a ginastica, ajuda muito na resistência, flexibilidade, força e equilíbrio, o que acaba ajudando e complementando o treinamento, a pré adolescência também é um desafio para o atleta, principalmente as meninas, que acabam ficando mais lentas, desanimadas e o esporte, ajuda a tirar a criança de casa e mostrar responsabilidade com disciplina, horários e compromissos.

Os benefícios relatados pela psicóloga, como respeito as regras, saber lidar com criticas, conflitos e frustrações, realmente dona Simone presenciou todas essas passagens pela vida da Gabrielle, principalmente depois das competições, além do aumento da concentração, vontade de vencer desafios e respeitar limites, o que não quer dizer não tentar vencê-los com responsabilidade, existe uma grande diferença quanto a isso.

Simone, mãe de Gabrielle, teve outros dois filhos também que foram surfistas, Pedro Muntaner que competiu dos 6 aos 16 anos, viajava com a equipe paulista para campeonatos brasileiros e fazia longas viagens internacionais, ela conta que hoje o filho faz Medicina longe da família e, ela tem absoluta certeza que o esporte e as viagens para as competições, ajudaram ele a tornar esse período de estudos longe de casa, menos sofrido, além da concentração e do foco que o esporte ajuda a aflorar, a segunda filha Dra. Leticia Muntaner, empresária e veterinária na cidade de Peruíbe, que também chegou a competir com raça, força, determinação, maturidade emocional e rapidez de decisão e, esses são alguns dos benefícios que o esporte traz para as nossas vidas, para o nosso dia a dia, que com certeza ajudam na hora de construir uma vida.

Por: Surf Today / fontes:  

Dra. Maythê Muntaner C.R.P. 140120/06 / Formação, Universidade Católica de Santos, 2014. Aluna de formação em Psicologia esportiva pelo centro de Estudo e Pesquisa da Psicologia do Esporte de Sao Paulo. Atualmente atua como Psicóloga do Instituto Projeto Neymar Jr, localizado na Praia Grande.

Simone R. Simões mãe da atleta Gabrielle Muntaner, decoradora de Interiores e consultora de Feng Shui  

Sobre JR Mirabelli

Comments are closed.

Voltar ao Topo