Principal / NOTÍCIAS / Sete brasileiros vão disputar a terceira fase em J-Bay.
Sete brasileiros vão disputar a terceira fase em J-Bay.

Sete brasileiros vão disputar a terceira fase em J-Bay.

Tomas Hermes (Foto: @WSL / Kelly Cestari)

Adriano de Souza, Michael Rodrigues e Tomas Hermes passaram pela repescagem, mas Tomas depois foi eliminado no penúltimo confronto da terça-feira no Corona Open J-Bay

A terça-feira amanheceu com Jeffreys Bay bombando direitas perfeitas de 4-6 pés e três brasileiros passaram pela repescagem que abriu o segundo dia do Corona Open J-Bay na África do Sul. O campeão mundial Adriano de Souza, o cearense Michael Rodrigues e o catarinense Tomas Hermes, se recuperaram das derrotas em suas estreias no sexto desafio da World Surf League Championship Tour. Tomas ainda voltou ao mar para competir na terceira fase e perdeu para a estrela sul-africana, Jordy Smith, mas sete brasileiros ainda vão disputar vagas para a rodada classificatória para as quartas de final na quarta-feira, a partir das 7h30 na África do Sul, 2h30 da madrugada no fuso horário de Brasília.

Os resultados da repescagem na terça-feira acabaram formando dois duelos verde-amarelos na segunda fase eliminatória do Corona Open J-Bay, ou seja, dois certamente seguirão em frente, mas dois ficarão em 13.o lugar com apenas 1.665 pontos no ranking. O primeiro confronto brasileiro é o do atual vice-líder na corrida pelo título mundial, Filipe Toledo, campeão da etapa sul-africana no ano passado. Ele está na sétima bateria, a terceira a entrar no mar na quarta-feira, com o catarinense Yago Dora, um dos reforços na “seleção brasileira” do CT este ano.

Outro novato, o cearense Michael Rodrigues, enfrenta na bateria seguinte o campeão mundial de 2015, Adriano de Souza. Os dois competiram na terça-feira de ondas melhores do que no primeiro dia em Jeffreys Bay. O estreante não deu qualquer chance para o havaiano Keanu Asing, conseguindo três notas na casa dos 7 pontos para vencer por 14,47 a 10,70. E Mineirinho surfou a melhor onda do dia entre os brasileiros, atacando forte a direita com uma série de três manobras potentes antes de surfar um belo tubo para receber 8,5 dos juízes na vitória sobre o californiano Patrick Gudauskas por 13,80 a 12,77.

Adriano de Souza (Foto: @WSL / Pierre Tostee)

Antes das duas baterias 100% verde-amarelas da terceira fase, o paulista Wiggolly Dantas poderá ajudar os brasileiros que estão na briga direta pelo título mundial esse ano, Filipe Toledo em segundo no ranking, Italo Ferreira em terceiro, Gabriel Medina em quarto e Willian Cardoso em quinto. Guigui está substituindo o contundido John John Florence nesta etapa e vai encarar o número 1 do Jeep Leaderboard, Julian Wilson, no segundo confronto da quarta-feira em Jeffreys Bay. O australiano está vestindo a lycra amarela na África do Sul, que estava com Italo Ferreira na etapa passada, em Uluwatu, na Indonésia.

Dos quatro que estão no seleto grupo dos top-5 do World Surf League Championship Tour, justamente o potiguar foi o único já eliminado do Corona Open J-Bay e pelo próprio Wiggolly Dantas na repescagem. O catarinense Willian Cardoso entra na décima bateria da terceira fase com o japonês Kanoa Igarashi e o campeão mundial Gabriel Medina disputa a última vaga para a rodada classificatória para as quartas de final com Connor O´Leary. O australiano foi o grande destaque da terça-feira em Jeffreys Bay, com 17,16 pontos de 20 possíveis na repescagem.

Michael Rodrigues (Foto: @WSL / Pierre Tostee)

DERROTAS BRASILEIRAS – A saída de Italo Ferreira aconteceu na penúltima bateria da segunda-feira e o fato se repetiu no segundo dia para o catarinense Tomas Hermes. Ele teve que voltar ao mar três baterias depois de despachar o australiano Matt Wilkinson no último duelo da repescagem. No entanto, só depois de esperar por cerca de 15 minutos para a equipe de segurança espantar um tubarão que tinha aparecido na área do campeonato.

Mas ele enfrentou outro local do pico e o sul-africano Jordy Smith pegou as melhores ondas que entraram na bateria para superar Tomas Hermes por 14,07 a 12,63 pontos. Foi a quarta eliminação brasileira na terça-feira. As outras três aconteceram na repescagem, todas em baterias bem disputadas e encerradas por pequenas diferenças. A primeira do dia foi definida nas últimas ondas surfadas pelos dois competidores. A do paulista Miguel Pupo valeu 6,17, contra 6,43 do taitiano Michel Bourez, que avançou por 12,16 a 11,50 pontos.

Ian Gouveia (Foto: @WSL / Kelly Cestari)

O pernambucano Ian Gouveia ficou ainda mais perto da vitória em sua última onda. Ele tinha a maior nota – 8,0 – da bateria e precisava de 6,26 para conquistar a classificação, porém a nota saiu 6,23 e acabou perdendo por 3 centésimos no placar de 14,26 a 14,23 pontos contra Owen Wright. O paulista Jessé Mendes também surfou bem ganhando notas 7,93 e 7,33 e foi derrotado por pouco pelo irmão mais jovem do australiano, com Mikey Wright conseguindo os pontos que precisava na última onda para garantir a vitória por 16,17 a 15,26.

Acompanhem a transmissão ao vivo do Corona Open J-Bay pelo Facebook Live da World Surf League acessando também pelo www.worldsurfleague.com

Jesse Mendes (Foto: @WSL / Pierre Tostee)

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – A World Surf League (WSL) tem como objetivo celebrar o melhor surfe do mundo nas melhores ondas do mundo, através das melhores plataformas de audiência. A Liga Mundial de Surf, com sede em Santa Mônica, na Califórnia, atua em todo o globo terrestre, com escritórios regionais na Austrália, África, América do Norte, América do Sul, Havaí, Europa e Japão.

A WSL vem realizando os melhores campeonatos do mundo desde 1976, realizando mais de 180 eventos globais que definem os campeões mundiais masculino e feminino no Championship Tour, além do Big Wave Tour, Qualifying Series e das categorias Junior e Longboard, bem como o WSL Big Wave Awards. A Liga tem especial atenção para a rica herança do esporte, promovendo a progressão, inovação e desempenho nos mais altos níveis, para coroar os campeões de todas as divisões do Circuito Mundial.

Os principais campeonatos de surf do mundo são transmitidos ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo grátis WSL app. A WSL tem uma enorme legião de fãs apaixonados pelo surf em todo o mundo, que acompanham ao vivo as apresentações de grandes estrelas, como Tyler Wright, John John Florence, Paige Alms, Kai Lenny, Taylor Jensesn, Honolua Blomfield, Mick Fanning, Stephanie Gilmore, Kelly Slater, Carissa Moore, Gabriel Medina, Courtney Conlogue, entre outros, competindo no campo de jogo mais imprevisível e dinâmico entre todos os esportes no mundo.

Para mais informações, visite o WorldSurfLeague.com.

———————————————————–

Por: Surf Today / fonte: João Carvalho – WSL South America Media Manager – jcarvalho@worldsurfleague.com

Sobre JR Mirabelli

Comments are closed.

Voltar ao Topo