Principal / NOTÍCIAS / Vans US Open com CT feminino e QS 10000 masculino na Califórnia.
Vans US Open com CT feminino e QS 10000 masculino na Califórnia.

Vans US Open com CT feminino e QS 10000 masculino na Califórnia.

Jadson Andre (Foto: Sean Rowland – WSL)

O famoso píer de Huntington Beach volta a ser o centro das atenções do surf mundial nessa semana, com o Vans US Open of Surfing promovendo a sexta etapa do Samsung Galaxy World Surf League Women´s Tour, o segundo QS 10000 do ano para os homens e ainda uma seletiva da categoria Junior masculina e feminina da WSL North America, além de outras modalidades na enorme arena de um dos eventos mais tradicionais do esporte na Califórnia. No QS 10000, o atual campeão mundial Adriano de Souza estreou com vitória na terça-feira e Jadson André, Bino Lopes, o jovem Yago Dora e o argentino Santiago Muniz, também passaram para a fase dos 48 melhores num dia de muitas baixas do Brasil em Huntington Beach.

O potiguar Jadson André venceu o confronto que abriu a terça-feira do QS 10000 Vans US Open, mas outros dois tops do CT perderam em seguida, Miguel Pupo e o campeão do ranking do WSL Qualifying Series no ano passado, Caio Ibelli, junto com Victor Bernardo. Mais um paulista foi barrado, Thiago Camarão, antes de Adriano de Souza conquistar a segunda vitória do Brasil, porém até na sua bateria um brasileiro foi eliminado, David do Carmo.

O mesmo aconteceu nas outras duas classificações do Brasil na terça-feira. Quando o catarinense Yago Dora surpreendeu os favoritos da sua bateria, o top da elite Alex Ribeiro perdeu a disputa pela segunda vaga para o número 3 no ranking do QS, Joan Duru. Bom para o francês, pois os líderes Leonardo Fioravanti (ITA) e Connor O´Leary (AUS), campeão da outra única etapa do QS 10000 na África do Sul, já tinham sido barrados juntos três baterias atrás, pelo havaiano Granger Larsen e o francês Nomme Mignot.

Na disputa seguinte foi a vez do baiano Bino Lopes e o pernambucano Ian Gouveia competirem juntos e novamente apenas um se classificou. O norte-americano Conner Coffin passou em primeiro e Bino em segundo, superando o filho mais jovem de Fábio Gouveia e o português Vasco Ribeiro. O atual campeão sul-americano da WSL South America, Robson Santos, também caiu em outra vitória americana, de Kanoa Igarashi. Ele ficou em último como Willian Cardoso, no confronto em que o argentino Santiago Muniz avançou com o havaiano Torrey Meister.

As participações duplas vão continuar nas baterias restantes da segunda fase que ficaram para a quarta-feira, com Filipe Toledo e Tomas Hermes estreando na segunda do dia contra dois havaianos, Tanner Hendrickson e Kaito Kino. Outros três brasileiros estão sozinhos nos confrontos que vão fechar essa rodada de 24 baterias. O atual campeão mundial Junior da World Surf League, o carioca Lucas Silveira, está na 22.a. Na 23.a, o paulista Deivid Silva começa a defender a quarta posição no ranking do QS. E o cearense Michael Rodrigues disputa as duas últimas vagas para a terceira fase.

48 MELHORES – Além dos quatro classificados na terça-feira, o Brasil tem mais dois surfistas na rodada dos 48 melhores do US Open. O cearense Heitor Alves e o paulista Jessé Mendes garantiram suas vagas nas baterias que fecharam a segunda-feira. Heitor será o primeiro a competir na terceira fase, na segunda bateria junto com o defensor do título do US Open, o japonês Hiroto Ohhara. Jadson André entra na terceira também contra três surfistas de outros países, assim como Jessé na quarta e Adriano de Souza na sexta. Na sétima, Bino Lopes e Yago Dora entram juntos para disputar duas vagas com o neozelandês Billy Stairmand e o americano Griffin Colapinto. E o argentino Santiago Muniz está na décima das doze baterias com um top da elite do CT, Jeremy Flores, da França.

Courtney Conlogue (Foto: Sean Rowland - WSL)
Courtney Conlogue (Foto: Sean Rowland – WSL)

CT FEMININO – Se no QS 10000, o japonês Hiroto Ohhara ainda pode conquistar o bicampeonato em Huntington Beach, no CT feminino a defensora do título do Vans US Open já perdeu sem vencer nenhuma bateria. A francesa Johanne Defay estava com o moral elevado pela vitória inédita na etapa das Ilhas Fiji, mas primeiro foi derrotada pela havaiana Coco Ho e na terça-feira eliminada por Keely Andrew. Com o 13.o lugar, já perdeu a quarta posição no ranking para outra australiana, Sally Fitzgibbons.

Além de Johanne Defay, outras favoritas tropeçaram na estreia, até a número 1 do Jeep WSL Leader, Courtney Conlogue, que compete em casa na Califórnia. Mas, aproveitaram a segunda chance de classificação para a terceira fase, quando começam a ser disputadas as vagas para as quartas de final. A hexacampeã mundial Stephanie Gilmore, a tricampeã Carissa Moore e a sempre concorrente ao título Sally Fitzgibbons, perderam na segunda-feira, mas venceram suas adversárias nos duelos da terça-feira.

BATALHAS FASE A FASE – Duas batalhas fase a fase estão sendo travadas nas ondas de Huntington Beach nas duas pontas da tabela de classificação. O US Open abre a segunda metade da corrida do título mundial e a australiana Tyler Wright precisa ficar uma posição na frente de Courtney Conlogue para retomar a lycra amarela de número 1 do Jeep WSL Leader da norte-americana. E ela pode até ser decidida numa final entre elas na Califórnia.

E a outra briga de quem ficar na frente leva a melhor, é pela última vaga no grupo das dez primeiras colocadas no ranking que são mantidas na elite das top-17 da World Surf League para o próximo ano. A australiana Laura Enever é a última no G-10 e a norte-americana Sage Erickson a 11.a colocada. As duas vão se enfrentar na próxima fase, para disputar a segunda vaga direta para as quartas de final com a líder Courtney Conlogue. A australiana Keely Andrew também tem chance de entrar no G-10, mas só com a vitória no US Open.

Vans US Open of Surfing está sendo transmitido ao vivo no www.worldsurfleague.com

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – A World Surf League (WSL), antes denominada Association of Surfing Professionals (ASP), tem como objetivo celebrar o melhor surf do mundo nas melhores ondas do mundo, através das melhores plataformas de audiência. A Liga Mundial de Surf, com sede em Santa Mônica, na Califórnia, atua em todo o globo terrestre, com escritórios regionais na Austrália, África, América do Norte, América do Sul, Havaí, Europa e Japão.

A WSL vem realizando os melhores campeonatos do mundo desde 1976, promovendo os eventos que definem os campeões mundiais masculino e feminino no Samsung Galaxy Championship Tour, além do Big Wave Tour, Qualifying Series e das categorias Junior e Longboard, bem como o WSL Big Wave Awards. A Liga tem especial atenção para a rica herança do esporte, promovendo a progressão, inovação e desempenho nos mais altos níveis.

Os principais campeonatos de surf do mundo são transmitidos ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo grátis WSL app. A WSL já possui uma enorme legião de fãs apaixonados em todo o planeta que acompanha as performances dos melhores surfistas do mundo, como Gabriel Medina, John John Florence, Adriano de Souza, Kelly Slater, Stephanie Gilmore, Greg Long, Makua Rothman, Carissa Moore, entre outros, competindo no mais imprevisível e dinâmico campo de jogo entre todos os esportes no mundo, que é o mar.

Para mais informações, visite o WorldSurfLeague.com

————————————————————————

Por: Surf Today / Fonte: João Carvalho – WSL South America Media Manager – jcarvalho@worldsurfleague.com

 

Sobre JR Mirabelli

Comments are closed.

Voltar ao Topo